Home // Artigos // À flor da pele

À flor da pele

Atualmente, muitos de nós vem passando por momentos de intensa melancolia. Algumas vezes, desconhecemos o motivo, em outras sentimos que estamos dando mais valor a um fato do que deveríamos e em outras, ainda, estamos mesmo vivenciando situações de intensa emoção.

Parte desta melancolia é fruto de nossas vivências, porém a maior parte temos captado da Psicosfera(*) da Terra. Nosso Planeta vem vivenciando uma transição energética e uma das características deste momento é a transformação da intensidade com que as pessoas estão vivenciando seus sentimentos e emoções.

Ao longo desta vida e de outras que vivemos, muitos de nós passávamos por situações de extrema dificuldade e travávamos as emoções, acreditando ser o melhor a fazer. Agindo assim, adquirimos traumas intensos, desenvolvemos cânceres complicados e fizemos com que nossa autoestima se tornasse algo ínfimo dentro de nós.

A chegada de um novo momento para a Terra exige uma nova postura daqueles que aqui ficarão. Aproxima-se um tempo em que emoções e sentimentos serão quase que uma forma de comunicação e não haverá espaço para quem insistir em não vivenciar suas emoções. A proximidade desta época tem feito com que estejamos mais sensíveis. Estamos cada vez mais vibrando em frequências de sentimentos sutis. Mas, não precisamos nos assustar. Tudo isto é uma preparação para a grande mudança. O momento em que estaremos bem próximos da Frequência do Amor.

Vivenciar o momento atual não tem sido fácil para alguns. Chega-se, às vezes, a sentir dores, tamanha a melancolia. É preciso que estejamos vigilantes e que, ao sentirmos nossa frequência vibracional caindo, reforcemos nossa conexão com o Criador primordial. Muitas vezes, mesmo agindo assim não conseguiremos evitar a melancolia. Mas, a melancolia, a tristeza, o choro tem seu valor. Ao derramarmos lágrimas estamos exercendo o que temos de mais belo que é a expressão de um sentimento.

È importante estarmos atentos ao que sentimos, tentarmos separar o que são nossos sentimentos e nossas emoções daquilo que estamos apenas captando, fruto de nossa sensibilidade aguçada. É preciso, também, que estejamos atentos ao outro. Ao nosso amigo, nosso companheiro, companheira. Nossa família, colegas de trabalho. Cada ser humano que habita este Planeta está mais suscetível às sensações despertas por seus sentimentos. E as reações podem ser as mais diversas possíveis.

É preciso que exercitemos nossa solidariedade neste momento, conosco e com o próprio. Primeiramente, nos permitindo sentir, sofrer, chorar. Deixando vir à tona tudo o que tivermos vontade. Analisando e buscando a origem do estado emocional e o que ele tem para nos ensinar. Em paralelo, buscar entender e amparar o outro. Tentar compreender aquele que se diz deprimido, mesmo que a nossos olhos a situação seja simples e não justifique tanto culto à dor. Que façamos de nossos ombros, um espaço calmo e aberto a todos os que nos procuram, pois a necessidade um abraço amigo se fará cada vez maior entre nós.

Que possamos ter belos momentos de intensa emoção.

Reginaldo Rosa

(*) Psicosfera: termo utilizado pela Doutrina Espírita para caracterizar o campo vibracional que envolve um planeta constituído de emissões energéticas enviadas por seus habitantes.

Related Posts with Thumbnails

Responder