Cuidar e curar

25-março-2020 – Belo Horizonte/MG/Brasil

Irmãos e irmãs em boa vontade, salve!
Que a paz de Deus esteja nesse ambiente.

É tão bonito ver essa imagem, é tão comovente ver essa imagem. Para essa mentora, é tão significativo o retorno concreto de perceber, ah..que eu tinha razão, quando eu disse que eu escolhi esse grupo. E escolhi esse grupo sem nenhuma pretensão, sem receio de trazer a vocês, nenhuma pretensão de orgulho, mas dizer da missão e da responsabilidade. Como  amadureceram, como cresceram, como estão conscientes dessa responsabilidade, que vem da grandeza, responsabilidade que vem das coisas ah.. que são grandes e que tem uma missão forte.

Gostaria de trazer algumas palavras se me permitem. Lembrem que sou da área de saúde, então não há como não ser como respingado nesse momento pela questão da saúde, e tenho que trazer uma certa leveza ao grupo e essa é minha missão. Sou daquelas que leva o puxão de orelhas pela leveza… mas a alegria faz parte desse grupo. Então gostaria de trazer algumas palavras muito importantes pra vocês.

Lembrem dessa palavra em latim “COGITATOS”. Cogitatos é de onde vem essa palavra “CUIDADO”. E cogitatos é sinônimo em latim por incrível que vos pareça de “CURA”. Vejam que coisa simbólica no plano tanto subjetivo, espiritual, material. Se todos nós soubéssemos que cuidado e cura são a mesma coisa…

O cuidado é anterior à cura. Eu só cuido, eu só consigo curar aquilo que eu coloco os olhos sobre. Por que cogitatos é justamente isso. A origem da palavra, ela diz isso. É meditar sobre… olhar sobre,  voltar a atenção sobre… Então não há como cuidar de forma despretensiosa. Eu cuido daquilo que chama minha atenção em meio a muitos, em meio a multidão, em meio a milhões, em meio a milhares, em meio a centenas. Eu passo então a cuidar. Curar tem uma ação sanitária, do biológico. Cuidar transcende este marco físico e sanitário. Cuidar vai mais longe. Muitas vezes cuidamos de um enfermo e este enfermo parte. E nós ficamos com a sensação de que nosso cuidado não foi cura. Mas essa cura foi além do físico. Ela transcende esse marco sanitário, ela transcende esse marco físico, e esse cuidado que eu dediquei ao meu enfermo, esse cuidado que eu dediquei a quem precisava, a quem me demandava esse cuidado, essa cura vai além dos limites físicos, ela vai na alma, vai no coração, vai na emoção.

Então, pensem! Pra curar eu preciso primeiro cuidar. Pra prevenir eu preciso cuidar. O que o planeta precisa neste momento e que todos nós ansiamos pelas pessoas que estão neste momento entrando nas casas brancas, entrando nos hospitais… o que a gente mais quer para estas pessoas? CURA! Só que não há cura sem cuidado. Então anterior à essa cura é o cuidado, é o colocar os olhos sobre. E o que a gente pensa quando diz que o planeta precisa de cura? A gente diz que o planeta precisa que vocês deitem os olhos, meditem, olhem, em meio a uma multidão de planetas, vocês olhem para este que é a casa onde vocês habitam

Olhem a dimensão do cuidado, como ele cresce neste momento. Ele vira mais do que o cuidado consigo, o cuidado com outro, ele ganha uma dimensão planetária, universal e cósmica. Neste momento em que o planeta passa por tudo isto, não duvidem que nós, vocês cuidadores, vocês que tem essa responsabilidade ou que assumiram a missão ou que acham que conseguem, há muito a se cuidar e a se curar . Não só da dimensão corpórea, das pessoas que adoecem, mas das pessoas que estão sadias mas doentes. De alma, de coração. Pessoas que promovem intrigas, pessoas que promovem a maledicência, pessoas que promovem palavras rudes, políticos que estão em lugares onde não deveriam estar (ou que não se sabe os desígnios divinos por que estão ali), mas todas essas pessoas precisam da dimensão de atenção, de olhos voltados, de meditação, de cuidar. 

E muitas vezes, irmãos, o cuidado não necessita inclusive estar lá. O cuidado pode ser na dimensão da sua relação com o outro. Se alguém te fere muito, se alguém é negativo, se alguém é denso, você criar oportunidades de não estar vibrando na mesma sintonia, isto é cuidado com o outro e consigo. Por que você não perpetua a energia dele e você não perpetua a sua energia em sintonia com o que não é bom para você e não é bom para o planeta.

É um aprendizado dolorido que vocês estão atravessando neste momento. Mas é um aprendizado tão importante, tão fascinante para todos que os observam do plano espiritual. É como se fosse uma grande torcida angelical que ora por vocês. E é importante que você estejam atentos para que não se deixem desviar de atenções, por que o cuidado é isto: É FOCO! Não existe cuidado sem uma atenção focal. Não existe cura sem uma atenção focal.  Se eu vou passar um remédio, um lenitivo, um medicamento no joelhinho da criança que caiu e esfolou o joelho eu tenho que abrir os meu olhos, concentrar as minhas mãos e passar  o remédio naquele lugar, não adianta eu passar em todo o corpo. Não adianta eu mergulhar um balde de remédio, a atenção focada e não desperdiçada do cuidado é naquele lugar. Então é isso que nós precisamos fazer, é aprender a focar o lugar do cuidado. Qual é o cuidado que a pessoa precisa. Falaram aí muito de pessoas que estão em situação de cuidado e como eu estou nessa  sensação de cuidado. Às vezes a pessoa demanda de vocês “por favor, me dê um remédio para dor de cabeça” e o pedido dela, se você estiver sintonizado com esta pessoa, meditativamente focado no cuidado, você sabe que o mais importante não é o remédio para dor de cabeça. É um abraço, é um afago, é um beijo, é dizer como eu gosto de você, é pegar o aparelho, fazer conexão e saber “você está bem hoje, acordou bem?”. Esse cuidado, às vezes sana a dor de cabeça que era só uma desculpa, um propósito, um chamado de socorro, um chamado de atenção. Queria dizer também das forças impulsionadoras do cuidado, não existe cuidado sem esperança, sim eu tenho esperança de que aquilo se resolva ou de  que aquilo se cure. Sem vontade, sem propósito, sem habilidade, sem fidelidade e sem amor. Quando eu penso em cuidar, e penso, lembrem, sinonimamente eu estou pensando em curar, se eu não penso na dimensão de ser fiel, de estar com o outro conectado, quando forem cuidar de alguém dediquem nem que seja uns minutos para aquele cuidar. Um enfermeiro, uma enfermeira, se estiver ali manejando o instrumentos, fazendo coisas e tudo, e ao mesmo tempo ali dispersa, ela vai fazer bobagem. 

Ela vai aplicar o remédio errado, ela vai pegar a veia errada. Ela vai fazer tudo errado. Ela tem que focar.  È disto que o planeta precisa neste momento, foco, determinação, envio de forças de amizade, serenidade. Lembrem, quando a gente fala em cuidado eu estou fazendo um compromisso. Cuidado é antes de tudo um compromisso com aquilo que me é importante. Cuidar é importar-se.  Se nesse momento vocês estão sendo chamados para curar este planeta ou cuidar do planeta, é por que o planeta é importante. Se ele não fosse vocês deixariam pra lá. As pessoas que não estão neste momento pensando nisto, é por que elas não têm a dimensão de como esta casa é importante. E não tenham dúvidas, essas pessoas no dia em que esta casa for verdadeiramente arrumada elas não terão o merecimento de estar aqui. Os que cuidaram dela terão o merecimento de estar aqui por que terão arrumado esta casa.  

Muito obrigado, mas muito obrigado. Lembrem, a dimensão do cuidado também não se faz sem um pouco de alegria, sem um pouco de leveza. As melhores cuidadoras nos hospitais, nos campos de batalha, aquelas que todos os cuidados (aqueles que demandam por cuidados) pensam, tem saudades, são aquelas que planam pelos lugares, são aquelas que não vem com o peso do cuidado, mas que sabem da dimensão e da leveza do cuidado. Tirem esse peso das costas quando forem cuidar. Pensem “estou indo dar essa parte de mim neste momento, do melhor de mim neste compromisso, neste foco e no meditar sobre”.

É isto, muita alegria, vocês estão muito bem. Pensem sempre. Há sempre alguém que neste momento necessita de cuidado. Vocês são felizardos por estarem aqui neste momento seguros, com saúde, com atenção, com olhos para ver e ouvidos para ouvir e um pulmão pleno de ar. Muitos dos que estão partindo neste momento estão sendo invadidos por um micróbio, por um microorganismo que está primeiro enchendo o pulmão de ar dessas pessoas e depois enchendo o pulmão de líquido dessas pessoas.Elas estão partindo com o corpo físico com uma sensação de afogamento. Vocês podem respirar profundo e sentir a dádiva que é a grande riqueza do cuidado divino que é a respiração, o ar que vocês tem ao seu lado que mais uma vez, como o Irmão Daniel disse, que vocês não podem enxergar.  

Pensem nisto, no cuidado com o outro, muitas vezes aquilo que você não consegue enxergar é o mais importante. É puxar do outro o que ele precisa, o que ele demanda em termo de  importância. Meditar sobre, curar. Muito obrigado fiquem na paz de Deus, curem sua alma, curem seu planeta. Com cuidado, com alegria, com leveza. 

Irmã Neri

Related Posts with Thumbnails

1 comentário


  1. Obrigada! Registrei várias passagens desta mensagem em meu coração e em meu caderno para divulga-la. Vamos cuidar da Vida SEMPRE.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *