Com 90 anos de união, casal turco vira símbolo do amor eterno

Imaginem quanto de “zenitude” eles tiveram que exercitar… Paciência, tolerância, respeito, amizade e até… amor! 😉

A história do casal centenário formado por Abdullah e Elif virou símbolo de amor eterno na Turquia.

Abdullah Adiguzel, nascido em 1898, e sua mulher, Elif, nascida em 1900, se apaixonaram quando jovens e asseguram que nunca tiveram problemas no casamento em todo este tempo de convivência.

“Nos queremos muito. Nunca tivemos problemas em 90 anos. Só temos um último desejo: morrermos juntos. Porque se um de nós morrer, o outro sentirá que perdeu sua outra metade”, explicou Elif à agência turca Anadolu.

O filho mais jovem do casal, Ismail, 60 anos, que ainda mora com eles, afirma que os pais são um “exemplo de amor” e de “casamento perfeito”, não só para a família mas para todos que os conhecem.

“Sempre foram fiéis. Nunca vi fazerem mal um ao outro. Frequentemente dizem que, se um deles morre, o outro lhe seguirá” explica o filho.

Elif, muito mais faladora do que seu marido, afirma que se “casaram por amor”. Um amor que tem reflexos de continuar por muito tempo ainda. “Meu marido não ouve bem já faz alguns anos, mas este é o único problema de saúde que tem. Em meus 110 anos de vida, a única cirurgia que fiz foi de cataratas”, explicou Elif.

A mulher deu à luz dez filhos, dos que sete ainda estão vivos. A família continua aumentando e soma 113 membros entre netos e bisnetos e, cada ano, em algumas ocasiões especiais e durante as festas religiosas, todos se juntam no pequeno povoado de Yazibasi, na província oriental de Malatya, onde vivem Elif e Abdullah.

O homem completará 113 anos no mês que vem e conserva vivas lembranças de tempos muito antigos. Tanto ele como sua mulher nasceram quando seu país era ainda Império Otomano e juntos viveram a queda dos sultões, a fundação da moderna República da Turquia e várias guerras.

Por exemplo, Abdullah se recorda perfeitamente da Primeira Guerra Mundial e de como, anos depois, em 1920, fez o serviço militar em Dardanelos, e teve de cavar novas trincheiras onde ainda permanecia viva a destruição de uma das batalhas mais sangrentas da Primeira Guerra Mundial.

“Estou muito feliz com minha mulher. Ambos nos apoiamos em tudo ao longo de nossas vidas”, conta.

O simpático casal acha que o segredo de sua longa vida está na alimentação natural e saudável que sempre tiveram.

“Comemos coisas do povo. Antes, tudo tinha seu próprio sabor. Mas nos últimos anos já não encontro esses velhos sabores. Deixei de comer verduras porque cheiram a remédios. Acho até que o pão que fazemos em casa não é igual ao de antes”, explica Elif.

Provavelmente há um grande amor no casal de Yazibasi, mas também é certo que, nos povos da Anatólia rural, os casamentos duram até a morte de um, como demonstra um dos refrães dessa geografia: “Entrarás à casa de teu marido com um vestido branco de noiva, mas só sairás envolvida em uma branca mortalha”.

No entanto, a história de Elif e Abdullah, talvez lhe cole mais o desejo que se formula aos casais nas bodas tradicionais da Anatólia: “Bir yastikta kocayin”, o que significa: “Envelhecei com vossas cabeças sobre um só travesseiro”.

(Fonte: Agência EFE)
 

 

Eterno, enquanto dure...

Eles têm 112 e 110 anos de idade, estão casados há 90, viram juntos a queda do Império Otomano, acompanharam o surgimento de novos países e sonham em continuar unidos até que a morte os separe.

Janeiro de 2011: marco inicial da campanha planetária pela paz no Sudão

Nove de janeiro de 2011. Essa é uma data em que nasce um dos maiores movimentos contemporâneos mundiais em prol da paz. O objetivo é evitar novos conflitos mortíferos no Sudão, a um ano de um referendo crucial sobre a divisão do país. A campanha internacional “Sudão 365” apela aos líderes mundiais para que evitem que a situação piore no país, onde há violações dos direitos humanos.
Nesse momento, milhares de pessoas, em todo o mundo, estão criando iniciativas que exortem os governantes a ter uma ação preventiva da guerra no Sudão. O apelo começa no Sudão mas terá eco em todo o mundo, de Nairobi a Nova Iorque, Londres ou Tóquio.

Há o perigo real que a guerra retorne. A violência está crescendo no sul do Sudão e no Darfur milhões continuam a sofrer, diariamente, nos campos. Nesse dia 9 de janeiro, data de início da campanha, artistas de todo o Planeta, liderados por Nick Mason, Phil Selway e Stewart Copeland tocam num clipe que é o centro da campanha “Sudão 365”. No clipe, intitulado “A Beat for Peace”, a ideia é mostrar uma mescla de ritmos e batidos empolgantes e com uma identidade planetária. Todos irmanados pela música e pelos instrumentos, ansiando pela paz, numa espécie de “clamor” sobre a grande importância que tem este ano para o Sudão.

Vamos entrar nessa corrente! Cada um de nós, da “comunidade” Zenitude pode ajudar. Como? De várias formas:
– Assinando a petição oficial no site oficial, endereçada às maiores autoridades mundiais, para que estejam alertas ao iminente conflito no Sudão;
– Produzindo um vídeo ou foto, inspirando-se sob o tema da paz na região do Sudão e incorporando-se à rede de cidadãos do mundo em prol da cultura de paz;
– Espalhando a ideia entre os amigos.

Para saber mais, assistir ao delicioso clipe da campanha, com os artistas de todo o mundo, assinar a petição e postar seu vídeo ou foto, entre no site oficial, clicando aqui.

Twitter brasileiro arrecada mais de 70.000 livros

twiterA internet trouxe para nós alguns recursos e atividades considerados por alguns como perda de tempo ou modismos passageiros. Penso que como tudo na vida toda tecnologia ou ferramenta tem seu lado positivo e negativo. Depende do objetivo com que você faz uso. O Twitter é um bom exemplo. Tem de tudo por lá, inclusive gente que fica o dia inteiro ocupando horas de trabalho com o que não devia.

Pesquisando sobre o Twitter, encontrei um case sensacional. Uma ação social voltada para a arrecadação de livros, realizada apenas pelo Twitter. Vejam abaixo a matéria publicada na Folha de São Paulo.

Penso que exemplos como estes servem para que cada um de nós mantenha a mente aberta às novas tecnologias e recursos que chegaram ou estão para chegar. Sei que a grande maioria deste grupo participa de algum grupo religioso ou social e desenvolve tarefas em benefício do próximo. Quem sabe você não tem uma ideia interessante para incrementar seu trabalho?

Link para a matéria da Folha de SP
http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u668390.shtml

Site da ação
http://doeumlivrononatal.blogspot.com/

Acesso à medicina não convencional cresce no SUS

Dessa vez, os dados são “oficiais”.  As informações quentíssimas, para o site Zenitude, vêm do Ministério da Saúde. Notícias promissoras de um novo olhar para o atendimento, mais humanizado e holístico.

acupunturaNúmero de procedimentos em acupuntura aumentou 122% e de práticas corporais, como tai chi chuan, em 358%. Investimento em homeopatia cresceu 383%.

O acesso gratuito a práticas de saúde como Homeopatia, Plantas Medicinais e Fitoterapia, Medicina Tradicional Chinesa (MTC/acupuntura) e Termalismo (uso de águas para tratamento de saúde) cresceu no Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2007, foram realizados 97.240 procedimentos de acupuntura e, em 2008, foram 216.616, crescimento de 122%. As práticas corporais, como Lian Gong e Tai Chi Chuam, também se tornaram mais acessíveis aos usuários. Em 2007, foram realizadas 27.646 práticas, enquanto, em 2008, o SUS contabilizou 126.652 – crescimento de 358%.

O aumento foi possível graças à Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), criada em 2006. O Ministério da Saúde garantiu acesso gratuito às práticas integrativas no país com a portaria de nº 971. A política recomenda ações e serviços no SUS, para a prevenção de agravos na saúde, a promoção e a recuperação, além de propor o cuidado continuado, humanizado e integral na saúde, com ênfase na atenção básica.

Essas práticas, que já eram realizadas no SUS antes da PNPIC, mas de forma tímida, ganharam força com a implementação da política nacional. Para se ter idéia, em 2000, foram realizadas 257.508 consultas em homeopatia. Já em 2007, foram 312.533. “Com a institucionalização das práticas não convencionais no SUS, muitos Estados e municípios tiveram suas ações fortalecidas. A PNPIC prioriza a promoção da saúde e promove acesso da população a práticas antes restritas a área privada”, analisa Carmem De Simoni, coordenadora da PNPIC. 

Além disso, em 2006, o Ministério criou a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, que financiará seis novos medicamentos fitoterápicos neste ano. A partir de 2010, os postos de saúde poderão oferecer fármacos produzidos à base de alcachofra, aroeira, cáscara sagrada, garra do diabo, isoflavona da soja e unha de gato. Com isso, o número de fitoterápicos financiados pelo SUS passa de dois para oito. Os novos produtos – preparados a partir de plantas medicinais – são indicados para o tratamento de problemas como prisão de ventre, inflamações, artrite reumatóide e sintomas do climatério. 

INVESTIMENTO – O investimento federal em consultas homeopáticas também foi incrementado: cresceu em 383%. Em 2000, o MS aplicou R$ 611.367,00 no custeio de consultas. Em 2008, investiu R$ 2.953.480,00. Além disso, só em 2008, foram realizados 25.751 procedimentos de moxabustão (procedimento que consiste no aquecimento dos pontos de acupuntura), com verba de R$ 84.649,00. Já o investimento em acupuntura teve incremento de 1.420%. Em 2000, foram gastos R$ 278.794,00 enquanto, em 2008, o recurso aplicado foi de R$ 3.960.120,00. 

Com a política, os brasileiros têm acolhimento gratuito nas áreas de Medicina Tradicional Chinesa/Acupuntura, Homeopatia, Plantas Medicinais e Fitoterapia. Eles são atendidos, principalmente, nas Unidades Básicas de Saúde e nos Núcleos de Apoio à Família (NASFs), além de hospitais.

Em 2004, antes da criação da política, o MS mapeou 230 municípios brasileiros que realizavam alguma prática. Em 2008, pelo menos 1.340 cidades oferecem alguma prática integrativa e complementar no SUS. 

VANGUARDA – A PNPIC inseriu o Brasil na vanguarda das práticas integrativas no sistema oficial de saúde.  As experiências brasileiras são citadas em relatórios da Organização Mundial de Saúde que, desde 1970, incentiva os países a implementarem políticas na área. A política responde ao desejo da população manifesto nas recomendações de Conferências Nacionais de Saúde, desde 1988. 

O Espírito Santo, não possuía normas para a aplicação das práticas no estado, mas passou a contar com política estadual para com foco na homeopatia, na acupuntura, em plantas medicinais e na fitoterapia.  Já Campinas, que conta com o Ambulatório Municipal de Homeopatia desde 1989 e um projeto de medicina tradicional chinesa incrementou o rol de atividades oferecidas. Estudo realizado pela Secretaria Municipal de Saúde da cidade indica a diminuição do consumo de mais de 74 mil antiinflamatórios por ano, após a implantação do Lian Gong (prática corporal da MTC). 

Práticas integrativas e complementares em dados oficiais do Ministério da Saúde:  
*
Em 2007, foram realizados 97.240 procedimentos de acupuntura com a utilização de agulhas e, em 2008, foram 216.616, um crescimento de 122%.
*
As práticas corporais, como Lian Gong e Tai Chi Chuam também se tornaram mais acessíveis aos usuários. Em 2007, foram realizadas 27.646 práticas, enquanto, em 2008, o SUS contabilizou 126.652, um crescimento de 358%.
*
Em 2000, foram realizadas 257.508 consultas em Homeopatia. Já em 2007, foram 312.533.
* A partir do próximo ano, os postos de saúde poderão oferecer fármacos produzidos à base de alcachofra, aroeira, cáscara sagrada, garra do diabo, isoflavona da soja e unha de gato. Com isso, o número de fitoterápicos financiados pelo SUS passa de dois para oito.
*
O investimento federal em consultas homeopáticas cresceu em 383%. Em 2000, o MS aplicou R$ 611.367 no custeio de consultas, enquanto em 2008 investiu R$ 2.953.480,00.
*
Só em 2008, foram realizados 25.751 procedimentos de moxabustão (técnica da Medicina Tradicional Chinesa baseada nos mesmos princípios de energia trabalhados na acupuntura), com verba de R$ 84.649.
*
O investimento em acupuntura teve incremento de 1.420%. Em 2000, foram gastos R$ 278.794, enquanto, em 2008, o recurso aplicado foi de R$ 3.960.120,00.  

Depois que Papai Noel passou, o que fazer com PC ou celular velho?

lixoA frase acima é título de uma interessante matéria veiculada no Jornal Nacional que trata de uma questão importante nos dias de hoje. O que fazer com o aparelho tecnológico que já não nos interessa mais?


Aquele PC que até ontem só lhe dava dor de cabeça de tanta lentidão, por exemplo? Doar para uma instituição filantrópica e simplesmente passar o “problema” para frente?

Felizmente, já existem algumas organizações públicas e governamentais que se encarregam de dar um destino correto a este material.


O Governo federal mantém um projeto chamado Computadores para Inclusão, com o objetivo de recondicionar equipamentos de informática e apoiar a informatização de escolas públicas, bibliotecas e ONGs.


Segundo o site do projeto, as cidades de Porto Alegre, Guarulhos, Brasília e Belo Horizonte já possuem unidades do Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC).


Eu conheço a unidade de Belo Horizonte. É um prédio imenso, muito bem estruturado, com uma equipe de profissionais contratados especializados em manutenção em hardware. E um detalhe bem interessante é que eles fornecem cursos a jovens carentes que passam a ter uma profissão graças ao projeto. Alguns são contratados na própria unidade, outros são indicados para empresas da região.


O CRC-BH é mantido pela Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte (Prodabel), pela Prefeitura do Município de Belo Horizonte e pela AMAS – Associação Municipal de Assistência Social. Fica na Rua José Clemente Pereira, nº 440 – bairro Ipiranga, Belo Horizonte – MG, CEP: 31160-130. O telefone é (31) 3277-6064 e o e-mail: crc.bhdigital@pbh.gov.br


Recentemente, o CRC-BH firmou parceria com uma empresa que faz a reciclagem de componentes de equipamentos eletrônicos (ferro de passar, rádio etc.) passando a recebê-los também.


Para saber o endereço dos outros CRC’s no país, visite o link http://www.computadoresparainclusao.gov.br/lista-crcs.php


Na página do Jornal Nacional, você confere o vídeo da matéria da qual eu extraí o título do post e vê também uma lista de outras organizações que recebem doação de equipamentos eletroeletrônicos

http://g1.globo.com/Sites/Especiais/Noticias/0,,MUL1423055-17815,00-DEPOIS+QUE+PAPAI+NOEL+PASSOU+O+QUE+FAZER+COM+PC+OU+CELULAR+VELHO+G+CONTA.html


Página sobre o CRC-BH

http://www.silexsistemas.com.br/noticias/98-conheca-o-centro-de-recondicionamento-de-computadores-pbh

Milhas da TAP podem ser doadas para apoiar causas humanitárias

No jogo da concorrência, posturas nem sempre de qualidade costumam ser copiadas e disseminadas. Essa, no entanto, é uma iniciativa que deveria ser imitada. Usuários de programas de fidelidade de companhias aéreas nem sempre utilizam as suas milhas acumuladas. Muitos acabam perdendo os trechos a que têm direito, por motivos variados, como falta de tempo ou até mesmo por esquecimento do prazo de validade. Reverter as milhas para programas sociais é uma iniciativa que merece o “selinho Zenitude nota DEZ” para ações que fazem a diferença – que nem criamos, mas que é uma grande idéia é, não? 😉

aviaoO Victoria, programa de milhagem da TAP, associa-se a instituições de auxílio humanitário e solidariedade social e convida os participantes  do programa a doarem milhas que reverterão a favor do  projeto Street Child World Cup – Copa do Mundo de Criança de Rua no Brasil, da Cruz Vermelha Portuguesa, AMI (Assistência Médica Internacional),  Terra dos Sonhos e o Helpin. 

Já em 2008 foram doadas pelos participantes TAP Victoria mais de 6,5 milhões de milhas, que permitiram a realização de múltiplas ações de auxílio e solidariedade social e a deslocação de voluntários das organizações não governamentais beneficiárias a diversos locais onde a ajuda humanitária é necessária. 

A doação de milhas pode ser efetuada até o dia 28 de fevereiro de 2010 no site do Programa TAP Victoria na Internet, em www.tapvictoria.com.br . 


Saiba Mais:

SCWC – Copa do Mundo de Criança de Rua: Com o apoio da TAP, a ABC Trust levará a equipa do Brasil à Copa do Mundo de Criança de Rua que acontecerá em março de 2010 em Durban, na África do Sul.

AMI (ASSISTÊNCIA MÉDICA INTERNACIONAL): Fundada em dezembro de 1984, a AMI luta contra a intolerância e a indiferença pelas vítimas da guerra, de catástrofes e da pobreza extrema.

CRUZ VERMELHA PORTUGUESA: Fundada em 1865, a Cruz Vermelha Portuguesa abrange várias missões humanitárias nacional e internacional.

TERRA DOS SONHOS: Fundada no dia 1 de junho de 2007, Dia Mundial da Criança, a Terra dos Sonhos é uma organização cuja principal missão é realizar os sonhos das crianças e adolescentes com doenças crónicas e/ou em fase terminal.

HELPIN: Rede Virtual de Parceiros Portugueses para Ajuda Internacional aos Refugiados, sendo uma iniciativa de Solidariedade Social no âmbito das Nações Unidas coordenada pelo UNHCR, cuja missão tem sido garantir a proteção internacional e encontrar soluções duradouras para os problemas dos Refugiados. 

*********
Mais informações sobre as ONG beneficiárias desta campanha TAP Victoria estão disponíveis em
www.abctrust.org.uk , www.ami.org.pt , www.cruzvermelha.pt , www.terradossonhos.org  e www.helpin.org/.

Recicle seu óleo de cozinha e ajude o Leuceminas

Você já deve ter lido ou escutado alguém dizer que um litro de óleo de cozinha pode contaminar cerca de um milhão de litros de água. Por isto, aquele nosso velho hábito de jogar no tanque ou na pia o óleo utilizado para fritura tem que ser deixado de lado.


E que tal colaborar com o meio ambiente e com a mesma tacada colaborar também com o
Leuceminas? Para quem não sabe, o Leuceminas é uma entidade super séria que apóia crianças, jovens e adultos carentes portadores de leucemia e funreciclaroleocozinhaciona como casa de apoio para aqueles que residem em outras cidades que necessitam de hospedagem em Belo Horizonte enquanto se tratam da leucemia.


O esquema é o seguinte: Você deve encaminhar o óleo até uma das lojas dos supermercados Epa, Mart Plus ou Via Brasil. O o material é vendido para a empresa Recóleo e o valor repassado para o Leuceminas.


Preferencialmente, você deve armazenar o óleo no recipiente original (exceto lata), evite utilizar outras garrafas PET (refrigerante, água, sucos) pois elas são recicláveis e, se sujas de óleo, ficam inúteis.


A parceria com o Leuceminas vale apenas para quem mora em Belo Horizonte. Mas, no site da Recóleo você encontra a lista de outras cidades onde a empresa atua.


Além da Recóleo, já existem diversas empresas do gênero atuando em vários estados brasileiros. Com uma rápida pesquisa no Google você vai encontrar uma delas.


Para você se animar e começar hoje mesmo a dar um destino correto ao seu óleo de cozinha, separei alguns links interessantes sobre assunto:


– No site do Instituto Ressoar você encontra uma lista de 150 postos de coleta de óleo de cozinha, espalhados por onze estados brasileiros:

http://www.ressoar.org.br/saiba_como_reciclar_oleo_de_cozinha.asp


– Matéria jornalística publicada na TV Gazeta, ensina como fazer sabão a partir do óleo:

http://www.youtube.com/watch?v=iQeJLsW99vw


Site da Recóleo – contém vídeos explicativos e cartilhas:
http://www.recoleo.com.br


– Site do Leuceminas:

http://www.leuceminas.org.br/QuemSomos.aspx

No Carnaval, Campina Grande sediou um dos maiores encontros ecumênicos do mundo

Leiam e vejam se não dá uma vontade imensa de mergulhar de corpo e alma, literalmente, em um Carnaval diferente, revigorante e edificante. Quem sabe um de nossos internautas que nos leem não apareceu por lá e nos manda notícias e boas vibrações?

cartazDe 12 a 16 de fevereiro, o Sesc/Centro, na cidade de Campina Grande, na Paraíba, sediou o 19° Encontro da Nova Consciência. Em 2010, o tema foi  “Sustentabilidade e Responsabilidade Sócio-ambiental: por um Planeta Sustentável”.

O Encontro da Nova Consciência é um evento que reúne adeptos de todas as religiões, além de estudiosos de Filosofia, terapias holísticas e todos os indivíduos interessados em praticar, estudar e conhecer atitudes e posturas que busquem uma nova consciência planetária. Acontece durante os dias de Carnaval, reunindo milhares de pessoas que lotam a cidade, num verdadeiro festival de diversidade. Indivíduos com suas vestes típicas de países e seitas das mais variadas trazem um colorido todo especial e festivo às ruas e hotéis da cidade – que ficam lotados de turistas de todo o mundo. Uma celebração planetária, em prol da paz, da cultura da tolerância e da queda das barreiras interreligiosas.

Atualmente, redes alternativas de hospedagem são abertas por ser tão grande o número de pessoas que visitam a cidade neste período. Almaval foi o termo escolhido para designar o “Carnaval da Alma”, celebração de valores que envolvem o corpo, a mente e o espírito.  O Encontro da Nova Consciência envolve, num período de 5 dias, grandes personalidades nacionais e internacionais para abordar temas de interesse de todos, como o diálogo entre as religiões de todo o Planeta, o desenvolvimento sustentável e a inclusão social. São mais de 54 eventos paralelos, como seminários de Reiki, biodança, cursos de alimentação natural, oficinas de práticas xamânicas, fóruns de religiões africanas, encontros de praticantes de yoga, fóruns de religiões orientais, atendimentos gratuitos de terapias vibracionais, meditações ao ar livre e exibições de filmes, que ocorrem em diversos pontos da cidade.

Pessoas de todas as faixas etárias e segmentos religiosos se envolvem e o Encontro da Nova Consciência já conquistou espaço em mídias de massa de abrangência local, nacional e internacional.

Se você esteve lá, mande notícias aqui, para a comunidade Zenitude.

Em Pernambuco, pacientes com câncer fazem terapia com florais

Antes da matéria, um breve e necessário comentário. Em Pernambuco, um hospital utiliza a terapia floral para o atendimento oncológico. Essa notícia é animadora, no sentido de nos anunciar uma postura nova. Sabemos que a chamada medicina “tradicional” vinha chamando terapias complementares integrativas  até há bem pouco tempo de “alternativas”.  Ora, na verdade, o termo “complementar integrativo” sugere muito mais o que devem ser as terapias holísticas: aplicadas com responsabilidade, podem, sim, SOMAR, serem excelentes aliadas aos tratamentos convencionais. 

É do conhecimento de todos, por exemplo, que os medicamentos alopáticos trazem, em sua grande maioria, efeitos colaterais que vão desde um simples enjôo até complicações mais severas, como comprometimento de órgãos e alteração em quadros sanguíneos. Reiki, Shiatsu, aromaterapia, florais e outros tratamentos complementares produzem bem-estar, resgatam a energia vital do paciente, proporcionam disposição e até mesmo vigor para enfrentar tratamentos severos. Médicos e terapeutas não precisam “brigar” pela atuação, mas devem enxergar o paciente como um todo – físico, emocional e… por que não? Também espiritual!

Que outras iniciativas como a do HC pernambucano sejam implementadas e difundidas.

Pacientes com câncer fazem terapia com florais

terapiafloralO Hospital das Clínicas (HC), da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), oferece aos pacientes com câncer um tratamento bem diferente a que estão acostumados. Aliada à medicina convencional, a terapia floral é utilizada na busca do equilíbrio emocional e melhor qualidade de vida dos pacientes.

Com a utilização de diversos sistemas florais totalizando 295 essências de flores silvestres, a especialista em terapia floral da UFPE Rosângela Vecchi, voluntária do HC, trata, não a doença, mas suas causas e reações emocionais manifestadas por ela. “Tenho que conhecer a história de vida do paciente, como ele reage à doença, os traumas, as
dores físicas, mentais e emocionais. Só assim, escolho a essência adequada a cada um”, explica. Essas essências são ligadas a quatro sistemas: Califórnia, Bach, Saint Germain e Pacífico. O último trabalha também os meridianos correspondentes a órgãos específicos do corpo.

No Serviço de Oncologia do HC, a terapia floral objetiva aliviar o sofrimento do paciente com qualquer tipo de câncer e em qualquer estágio. “São comuns desequilíbrios como medo exagerado, raiva, tristeza, ansiedade e desespero”, elenca. O tratamento é feito por via oral e dura cerca de cinco meses, dependendo da situação de cada um.

Os profissionais do setor também aderiram à prática. A técnica de enfermagem Maricesar Costa, está se tratando com florais há quatro meses para minimizar os efeitos da ansiedade. “A ansiedade me atrapalhava muito. Com os florais estou me sentindo bem melhor e até sinto falta quando não tomo”, conta.

A terapia floral foi criada pelo médico Edward Bach, na Inglaterra, em meados de 1930. É uma prática complementar integrativa que utiliza o princípio vibracional das flores silvestres onde o extrato de cada uma atua no indivíduo proporcionando qualidade necessária para promover o equilíbrio integral. A terapia parte do princípio de que o indivíduo adoece de forma integral em que os sinais e sintomas são sentidos nas
esferas física, emocional e mental.

Projeto amplo 

O Departamento de Enfermagem da UFPE colocará em prática, em março, o projeto Práticas Integrativas e Complementares em Enfermagem (Pece). O objetivo é oferecer o serviço aos interessados em utilizar a terapia floral como instrumento
terapêutico.

Resultados alcançados (segundo relatos dos próprios pacientes):
flowerDiminuição da percepção da dor
Tranquilidade interior
Bom sono
Melhoria da autoestima
Disposição no dia a dia
Diminuição dos efeitos desagradáveis da quimioterapia
Retorno à convivência familiar e social
Redução do quadro de ansiedade

Dicas para a limpeza e energização de pedras

Nessa época de início de ciclos, muitos procuram por um objeto que traga sorte, proteção, ou mesmo algo que materialize um compromisso de mudança, uma espécie de  “marco simbólico” de novos propósitos. Ter um trevinho de quatro folhas na carteira, um carocinho de romã, uma semente da uva da ceia do Ano-Novo. Tudo é válido, desde que não se caia no fanatismo e que não transformemos meios em fins. Objetos não devem ter mais força do que nossos anseios, gestos e vontades de ação concreta.

pedrasUm desses objetos para atrair e manipular boas energias que tem sido cada vez mais comum a utilização são as pedras e cristais. Belos, reluzentes, coloridos, agradáveis ao toque, pedras e cristais são uma delícia de se ter por perto: na bolsa, no bolso, na carteira, na mesa de trabalho, em um acessório. Terapeutas energéticos fazem uso, com sucesso, de pedras e cristais, na revitalização de chacras e na reconstituição das energias vitais de pessoas, animais e ambientes.

Seus significados são variados. Pedras vermelhas, por exemplo, normalmente são empregadas para trabalhos vibracionais ligados à energia sanguínea, a órgãos circulatórios e ao chacra primário. Para as “razões do amor” (paradoxo proposital, aqui), bom mesmo é ter sempre por perto um quartzo rosa ou uma ametista. Meditar com uma delas sobre o coração pode ajudar a encontrar os melhores caminhos naquela relação amorosa cheia de percalços. Mas tudo isso é um vasto assunto e merece um artigo à parte. Meus caros companheiros leitores, caso desejem, posso voltar ao tema, brevemente. É só pedir!  

Para quem já tem as suas pedras ou cristais ou pretende começar a tê-los por perto, aqui vão as dicas de como promover a sua limpeza e energização.


LIMPEZA
Para a limpeza, o método é o mesmo com que “limpamos”  nosso corpo de influências negativas: água e sal grosso. O sal grosso ou cloreto de sódio tem a propriedade de absorver o excesso de elétrons das pedras. Assim, um cristal ou pedra sem limpeza poderá ter um efeito contrário, emanando mais elétrons (carga negativa) para o corpo físico ou para o ambiente. Portanto, se você não tem tempo e disciplina para este tipo de manutenção, é melhor não utilizar pedras ou cristais no corpo ou em seu ambiente. 

Coloque a pedra dentro de um recipiente de vidro, preferencialmente branco ou transparente, contendo água e sal grosso. Deixe de uma noite para o dia seguinte. Retire e lave a pedra em água corrente. Outra forma de limpar suas pedras ou cristal é levá-los ao mar, cachoeira ou rio (de água limpa, é claro!), com uma mínima correnteza. Tome cuidado, nesses casos, para que a atração natural exercida pelo meio sobre esses elementos não faça com que escapulam de suas mãos, levando sua intenção, literalmente, por água abaixo!

 

Para a energização:

AO SOL
Para uma energização que pretende canalizar uma energia mais objetiva, racional, masculina, ou para atuações energéticas em problemas mais físicos, deixe seu cristal ou suas pedras, após terem, sido lavadas e limpos, diretamente na luz do sol, de preferência na parte da manhã, até o meio-dia. 

LUA
Se quiser energizar seu cristal ou suas pedras, com a energia mais feminina, mais intuitiva, ou para atuações energéticas em questões mais sutis, relaxamentos e terapias energéticas, coloque-os diretamente exposto à luz do luar (lua crescente ou cheia, de preferência). 

SOL/LUA
Coloque seu cristal ou suas pedras expostos à luz do luar, durante toda à noite e, depois, ao Sol, até o meio-dia. É um tipo de energização bastante forte, principalmente para quem pretende utilizar as suas pedras em diferentes situações.

TEMPESTADE
Outra forma poderosa de energizar seu cristal ou suas pedras é esperar a formação de uma tempestade, com bastante vento, chuva, raios e trovões e colocá-los expostos a essa energia.  

ENERGIZAÇÃO COM AS MÃOS:
Coloque seu cristal ou suas pedras entre as duas mãos e gire-os até esquentar, mentalizando passagem de energia de suas mãos para eles. Se você é reikiano, acione o símbolo 01 e aplique Reiki diretamente sobre o cristal ou pedra. A “contra-indicação” para a energização com as mãos são os períodos em que você estiver sob estresse, raiva, mágoa ou profundo cansaço, já que pode impregnar o campo energético dos objetos com essa vibração.
 

Você pode, também, energizar a água potável com cristais ou pedras, colocando água mineral sem gás num recipiente de vidro transparente com alguns cristais ou pedras, bem lavadas. Deixe no sol da manhã por um mínimo de quatro horas, e depois conserve em temperatura ambiente, cobrindo o recipiente com um pires. Beba um ou dois copos por dia. Essa água energizada pode ser colocada no seu filtro ou no seu recipiente de água mineral. 

Em todos os casos, após um tempo de manuseio, ou quando suas pedras forem manuseadas por alguém que você tenha a “intuição” de que provocaram nelas desequilíbrio energético, refaça a limpeza e a energização. Para quem atua com pedras e cristais em terapias, a manutenção deve ser semanal, pelo mesmo processo, mas somente uma hora de molho em sal grosso é o suficiente. Pessoas que saibam lidar com pêndulos podem checar o estado energético das pedras e cristais com o auxílio do movimento pendular.

 

Uma observação importante e necessária: a turmalina negra e a pirita não devem ser lavadas. Escove-as com uma escova virgem e coloque-as ao Sol.

Voluntários no Brasil já são mais de 20 milhões

Que sejam mais… E mais… E mais… E mais…
voluntariado
Ainda que não se possa dizer ao certo a dimensão do serviço voluntário no Brasil, as estimativas citadas no Debate Público Voluntariado Transformador: Preservando Bens Comuns e Ampliando a Cidadania, mostram o crescimento do setor. De acordo com o censo de 2005, seriam 20 milhões. Hoje, este número já se aproximaria de 25 milhões. O evento aconteceu no final de novembro, no plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. No debate, proposto pela Comissão do Trabalho, da Previdência e da Ação Social, foram apresentados exemplos de trabalho voluntário com transformação da realidade.

Um dos objetivos do debate foi colher contribuições para o Projeto de Lei (PL) 3.653/09, de autoria da deputada Rosângela Reis (PV), que institui a Política Estadual do Voluntariado Transformador. Já examinada pela Comissão de Constituição e Justiça, a proposta será avaliada agora pela Comissão do Trabalho, presidida pela parlamentar, a partir de informações colhidas no debate público.

Em seu pronunciamento, Rosângela Reis ressaltou a necessidade de maior entrosamento entre o Estado, empresas e o terceiro setor para o fortalecimento do serviço voluntário. “A proposta do voluntariado transformador é no sentido de complementar as políticas públicas e de também fiscalizar o Estado no que se refere a essas políticas”, disse a deputada.

Entre os objetivos e propostas do projeto estão a capacitação de cidadãos, gestores e lideranças sociais que desenvolvem programas de voluntariado; articulação entre Estado e sociedade para a realização de políticas públicas nessa área; geração de oportunidades para a prática do voluntariado transformador; e incentivo a empresas em ações de voluntariado.

Pesquisas comprovam benefícios do Reiki e outras terapias do biocampo

 

Sim! A ciência mais ortodoxa começa a dar o braço a torcer, reconhecendo os benefícios das terapias que atuam no campo energético, como o Reiki, a calatonia, a biomassagem, dentre outras. Notícias que merecem um brinde em forma de vibração! Tim-tim na alma!

reikiPesquisadores da Universidade da Califórnia, uma das mais respeitadas dos Estados Unidos, decidiram fazer uma revisão geral dos inúmeros estudos científicos que estudaram a eficácia das chamadas terapias do biocampo, incluindo Reiki, terapia do toque, toque terapêutico, biomassagem e outras.

As terapias do biocampo geralmente oferecem resultados muito além dos prometidos pelos tratamentos convencionais, baseados em psicoterapia e em medicamentos. Essas modalidades de terapia complementar afirmam utilizar a energia sutil do corpo – o biocampo – para ativar os processos de cura do próprio organismo.

As terapias do biocampo se oferecem como tratamentos complementares, entre outros, para redução da dor em vários tipos de doenças, redução da ansiedade em pacientes hospitalizados e redução de comportamentos agitados em quadros de demência.

Pesquisas científicas sobre biocampo

Os doutores Shamini Jain, especialista em prevenção de câncer, e Paul Mills, psiquiatra, decidiram então fazer uma análise detalhada e isenta das várias pesquisas publicadas por outros cientistas sobre as diversas formas de terapias do biocampo.

Os resultados acabam de ser publicados no periódico médico Journal of Behavioral Medicine.

Terapias do biocampo

Um número cada vez maior de pessoas utiliza as terapias do biocampo em tratamentos e como medidas preventivas, apesar do pequeno número de pesquisas científicas envolvendo o tema e, principalmente, de evidências mais concretas de que elas funcionam de fato.

Essas técnicas vêm sendo utilizados por milênios em várias culturas, para curar problemas físicos e mentais. Somente muito recentemente elas passaram a ser analisadas com os métodos científicos da medicina ocidental.

Em uma revisão detalhadas de 66 estudos clínicos que estudaram as terapias do biocampo em diferentes populações de pacientes, sofrendo de uma grande variedade de condições médicas, os dois cientistas decidiram examinar a integridade dos argumentos e das evidências científicas colhidas para mostrar a eficácia dessas terapias complementares.

Evidências fortes e moderadas

Os dois cientistas concluíram que, no geral, os trabalhos científicos publicados nesta área têm uma qualidade média em termos científicos, destacando-se igualmente estudos de excelente qualidade e estudos cujas metodologias apresentam algum tipo de falha.

Quanto aos resultados dos estudos, os dois cientistas encontraram fortes evidências de que as terapias do biocampo reduzem a intensidade da dor em populações não-hospitalizadas.

Para os pacientes hospitalizados e para os pacientes com câncer, as evidências de que as terapias do biocampo reduzem a intensidade da dor foram catalogadas como moderadas.

Os cientistas também encontraram evidências moderadas de que essas terapias acalmam comportamentos agitados em pacientes com vários tipos de demência. Os resultados são similares quando o tratamento complementar é voltado para reduzir a ansiedade em pacientes hospitalizados.

Novas pesquisas científicas

As evidências coletadas pelos diversos estudos não são conclusivas quanto ao uso das terapias do biocampo para o tratamento de sintomas de fadiga e para a melhoria da qualidade de vida de pacientes com câncer, assim como para a redução da dor e da ansiedade em pacientes especificamente com problemas cardiovasculares.

Os autores concluem que há uma grande necessidade de mais estudos de alta qualidade sobre o tema e sugerem áreas específicas para a realização de novas pesquisas científicas.

Médicos devem conhecer as terapias do biocampo

A principal conclusão dos dois cientistas, contudo, é no sentido de que os médicos passem a conhecer as terapias do biocampo.

“A fim de informar melhor os pacientes dos benefícios potenciais, ou dos não-benefícios, dessas intervenções baseadas no biocampo, os médicos e os cientistas na área da medicina comportamental devem se familiarizar com a teoria e com a prática dessas terapias, assim como das pesquisas feitas na área,” concluem os especialistas.

(Em Belo Horizonte, para ser atendido e conhecer mais sobre Reiki e outras terapias bioenergéticas, ligue: 3421-8102 ou mande um email para zenitude@neymourao.com.br )