Home // Canalizações // Espelhos: é o que são! Espelhem Deus!

Espelhos: é o que são! Espelhem Deus!

Queridos e amados seres-sementes de um amanhã renovado!

Eis que é chegado o tempo em que todos praticarão a máxima que deve reger as mãos, corações e espíritos daqueles que se propuseram ao auxílio de seus irmãos, como terapeutas de almas: curar algumas vezes, aliviar outras, consolar sempre. É uma conhecida máxima da ciência médica, uma máxima que trouxe a este plano uma nova visão das ciências terapêuticas e de seus praticantes. Hoje, nos tempos em que a Terra se prepara para uma ascensão para patamares diferenciados de evolução, saibam que todos serão convocados a serem cuidadores. Reiteramos, mais uma vez, esta convocação, e rogamos para que se preparem,  preparem, seus lares, suas famílias, seus amigos, seus lugares de ofício.

Muitos estão, de fato, sentindo nos próprios corpos as transformações necessárias e estes tempos novos. Não são poucos os que confundem estes sentimentos novos e profundos como angústia, palpitações, incertezas, justamente por estarem experimentando sensações que não podem ser descritas à luz de um mundo antigo. Os seus dicionários ainda não trazem as denominações para muitas das experiências que hoje já compõem o ensaio para um futuro que está batendo à porta.

Rogamos aos irmãos que leiam as literaturas das quais dispõem e que sabem que são ferramentas para o alcance da paz, da harmonia interior e da verdade. Não queremos catalogar ou definir quais são aquelas páginas onde está a verdade absoluta, já que em um tempo baseado no amor pleno a maior verdade é o abraço desqualificado de rótulos de pessoalidades. Cada um é livre e possui, registrado em sua alma, o potencial infinito para o discernimento, libertado de falsos mestres ou juízes externos. O mais imprescindível é que estudem, leiam, busquem a ascensão e o progresso, de forma determinada e deliberada. Não falamos, aqui, de um progresso que destrói, de um desenvolvimento que exclui ou de uma valorização material que não abraça o humanismo e a solidariedade. Falamos do progresso das almas, do crescimento dos Espíritos, que só ocorre com o esforço de cada um, o desejo de chegar à Fonte.

Aos que têm dirigido aos planos superiores o anseio pela cura, lembrem-se que, voltando à máxima que citamos nessa mensagem, importa mais o consolo dos Espíritos que a cura dos corpos. É a paz espiritual que devem almejar, já que o que hoje veem transitando pelos planos materiais é passageiro, tênue, e pode se apagar como o sopro de uma chama, se comparado à eternidade evolutiva daqueles que se esforçarem e crerem no auxílio que virá.

Leiam os livros cristãos, leiam os sagrados livros antigos, leiam os proféticos ensinamentos de eras remotas, leiam as bondosas páginas dos irmãos celestiais canalizadas por outros dedicados e humildes servos neste plano. Dediquem-se, de corpo e alma àqueles que tratam do amor incondicional, da paz entre os seres, da harmonia planetária. Neles, com certeza, encontrarão as fórmulas e orientações para o alcance do caminho da verdade, do equilíbrio, da fé removedora de obstáculos.

A saúde é como um espelho, queridas sementes. Um corpo enfermo reflete os males provenientes do desequilíbrio de outros corpos sutis. Porém, nunca refletirá a verdadeira essência da alma – esta rebrilha em saúde plena, perfeição e eterna conexão com a Fonte. Um corpo enfermo ou um ser que demonstra imperfeições morais pode estar, momentaneamente,  comprometido com forças desestruturantes, em sintonia com anseios pelo desequilíbrio planetário. Mas, reiteramos, este é um momento, pequeno, curto, comparado com a gama de possibilidades, representada pelo amanhã que virá. Cuidem, no entanto, para que também não entrem em sintonia indesejáveis, pois habitam um plano dual, justamente para exercitarem sua fé e sua liberdade para fazer escolhas. Isto já foi dito, muitas vezes, mas é necessário lembrar.

É preciso, mais uma vez, a atenção e a vigilância. A leitura edificante auxilia os cérebros, conturbados e muitas vezes indisciplinados, a conectarem-se com a Fonte de Luz, com o Divino, com os Mestres. Mantenham, junto com vocês, sempre ao alcance da mão, fontes de boas leituras. Mesmo onde pareça, em primeira visão, um local inadequado ou mesmo inusitado. Pequenas frases são suficientes para mentalizações fortes, em harmonia com a luz. Ouçam boas músicas e procurem, em momentos de turbulência mental e psíquica, não exercitarem seus olhos, ouvidos e mentes com a vibração ansiosa de ambientes erráticos. Muitos dos que leem essas palavras já estudaram essas orientações. Rogamos, mais uma vez, que as pratiquem, para o bem de si mesmos, e para que possam ser auxiliados em suas trajetórias e amparados de uma forma mais intensa, em seu clamor pela saúde integral.

Tragam ao reflexo dos seus espelhos externos o que há de mais belo, em suas almas. Esbanjem sorrisos aos que os cercam. Vocês não imaginam a vibração e a potencialidade de um sorriso e o que ele é capaz de promover em uma ferida nos corpos sutis. Um sorriso, caras sementes, pode valer mais do que uma pílula, em muitos momentos. Pratiquem mais a celebração, a alegria e, principalmente, o cuidado com os irmãos vivos que os cercam, com os ambientes e com aquilo que consomem, ouvem, veem e ingerem. Não deixem que estas ferramentas que conduzem à saúde sejam esquecidas.  Busquem, na leitura positiva, o conhecimento necessário para ativar e reativar esse círculo positivo e contínuo, até que tudo isso se torne hábito.

Mais uma vez, rogamos para que também vejam no outro aquilo que gostariam que fizessem com vocês: amparo, cura, alívio e consolo. Os céus estão potencializando seus olhos, para verem, e seus ouvidos, para ouvirem os clamores de ajuda. Porque não potencializariam seus corações e mãos, como instrumentos de ajuda? Porque insistem em duvidar? A dúvida é uma forte semente para a conexão com o lado mais escuro e errático. Amparem-se, na certeza, individual e coletiva. Mãos dadas chegam com mais firmeza ao fim da jornada.

Olhem-se, hoje, no espelho, e vejam LUZ! Não a luz da prepotência, da vaidade e do orgulho, vícios que deverão cuidar e buscar o devido afastamento – e que, sugerimos, sejam estudados e compreendidos, em seus retiros e meditações. Mas a luz da fé, da bondade, da saúde, da benevolência, da razão que não sobrepuja o amor, da caridade, da justiça. Coloquem as dores e as cicatrizes não curadas nas mãos do Altíssimo. Ele enviará para o seu lado, senão o que julgam como cura, o alívio e o conforto. Espelhos: é o que são. Espelhem Deus! E fiquem com Ele, terna e eternamente!

Ana Justina Neri, 23 de abril de 2012.

Related Posts with Thumbnails

1 Response to " Espelhos: é o que são! Espelhem Deus! "

  1. Homem não chora dizem por aí. Mas eu chorei. Linda msg.

Responder