Home // Artigos // Humildes, mas reconhecedores de nossos valores

Humildes, mas reconhecedores de nossos valores

A reprodução ao lado é de uma pintura do século XV intitulada “A Virgem da Humildade”. O quadro tem a característica de ter sido um dos primeiros no qual identificamos a “Santa Mãe de Deus” fora de um altar. Masolino, o autor, colocou a Virgem no chão, sob uma almofada dando de mamar ao Menino Jesus.

O que este quadro tem a ver com o nosso tema? Estaria Maria sendo reproduzida em uma situação de humildade? Para responder a esta questão é importante que primeiro façamos uma reflexão sobre o que é humildade.

O dicionário Aurélio define humildade como  “a virtude que nos dá o sentimento da nossa fraqueza”. Para a Wikipédia, é “a qualidade daqueles que não tentam se projetar sobre as outras pessoas, nem mostrar ser superior a elas”.

Penso que muitas vezes, confundimos humildade com modéstia. Ser humilde lhe permite identificar seus valores, sem enaltecê-los com o desejo de sobressair-se e inferiorizar os demais companheiros de jornada. A pessoa humilde reconhece que precisa aprender muito ainda, mas necessariamente não precisa esquecer-se do que já alcançou em termos de desenvolvimento. Pelo contrário, deve usar deste crescimento para alcançar o que ainda falta.

O modesto, diferente do humilde, faz de tudo para esconder seus valores, o que muitas vezes pode impedi-lo de contribui com o crescimento dos demais. Uma pessoa que domina um determinado assunto, por exemplo, pode exagerar na modéstia e perder a oportunidade de repassar este conhecimento a alguém que deseja aprender. O humilde irá abastecer o companheiro de informações, tendo apenas o cuidado de fazê-lo de uma forma que o ouvinte não se sinta inferiorizado e sim motivado a aproveitar o momento e aprender.

Todos nós somos muito bons em alguma atividade ou sábios em algum assunto. Para chegarmos a este nível, foi necessário algum esforço de nossa parte, seja estudando ou praticando. Reconhecer isto é nossa obrigação. Este reconhecimento é um dos principais antídotos contra alguns males como a depressão, por exemplo.

Valorizar-se, reconhecer-se como um ser em desenvolvimento, mas que já alcançou várias etapas do processo evolutivo é nossa obrigação. Agindo assim, sentimos motivados a continuar crescendo e ainda identificamos o que temos de melhor para oferecer ao mundo.

Ao pintar a Virgem fora do altar, Masolino seguia um novo tipo de devoção em que os protagonistas da pintura se humanizam em relação aos modelos anteriores. Este modelo difundiu-se pela Europa, contribuindo para uma ampliação dos devotos à Santa.

Vemos uma Maria, santificada, porém em situação de humildade, com valores e ensinamentos a oferecer a seus filhos.  Próxima a eles.

Que todos nós possamos no dia de hoje identificar nossos valores. Temos diversas virtudes. Algumas em estágio maior de desenvolvimento, outras nem tanto. Que sejamos humildes o bastante para não deixarmos que o autoconhecimento nos distancie daqueles que necessitam de nosso auxílio, mas que também não exageremos na humildade, caindo no mesmo distanciamento.

Reginaldo Rosa

Observação: A Humildade é um dos dez Valores da Rede e sua declaração é a seguinte:
* Humildade – Rejeitar, de forma imperativa, o orgulho prepotente e a vaidade. Encarar o mérito ou eventuais reconhecimentos como um ingrediente a ser compartilhado por todos, em rede, de forma solidária e afetuosa.

Clique aqui e conheça os demais Valores da Rede Zenitude 

Related Posts with Thumbnails

Tags: ,

Responder