Impressões sobre a reunião vivencial e de oração – Voo da Pena – Residência de Mônica Gomes em 30/04/2011

Desde a entrada, a anfitriã brindou-nos com carinho para aquecer o coração e um alegre jardim para encantar os olhos: um abraço afetuoso e belos arranjos de girassóis espalhados pela casa deram aquele toque especial.

A residência de Mônica e seus familiares é arejada, clara. A mesa posta na varanda estava de frente para a figueira – árvore sagrada, como devem ser os encontros entre as criaturas humanas. Chã de hortelã, patê de milho, torradinhas caseiras, enquanto os convidados iam chegando e tomando o seu lugar por ali. Tudo suave como a brisa que embalava a noite. Ao fundo, sem brigar com os diálogos, músicas com letras edificantes, tocando a alma e o espírito.

Aos poucos, outras delícias foram compondo a mesa: um deslumbrante  antepasto de berinjela, um indescritível bolo de coco e chocolate, uma fantástica torta de legumes… Haja adjetivos para descrever! E aquele quibe vegetariano de tabuleiro, então!?

Durante a sintonização vibracional, o grupo foi inspirado e tocado pelos céus para a necessidade de estarmos atentos à família, à união entre pessoas mais próximas, aos valores positivos no lar, à atenção continuada ao “próximo mais próximo” – em total sintonia com a mensagem escrita para a ocasião, que foi lida logo depois.
Pra variar, muitos abraços, afagos, aquela sensação boa e aconchegante de estar entre pares.

Na vivência, um “presente”. Ao chegar às mãos de cada um, a revelação: “O presente não é seu”. De mão em mão, foi conduzido para mãos solidárias, amorosas, cuidadosas… Até que, quase nenhuma surpresa, o delicioso final: o presente era de todos, deveria ser compartilhado, como são todos os nossos momentos felizes, na família Zenitude! Cada um dos presentes recebeu uma parte do presente: uma pequena pedra semi-preciosa, mosaico de cores e de tons diversos, compondo um todo – metáfora desse grupo que tão bem tem feito a todos que o integram!

O carinho dos ausentes fez-se presente, através dos encantadores coelhinhos enviados pela Zoraide. Doce gesto de quem tem o coração tão doce quanto chocolate de Páscoa!
Saímos, deixando a nossa pena emoldurada, símbolo da união, da fraternidade, do amor. Que esses sentimentos permaneçam na casa de nossa anfitriã e em sua alma. Que embale seus dias e os dias de seus familiares e amigos. Que a boa energia da noite fique impregnada nas paredes e que possa também ter saído dali com cada um de nós, revigorando-nos e espalhando por onde passarmos a chama cálida do amor!

Encontro Residência Mônica – abril 2011
Related Posts with Thumbnails

Autor: Ney Mourão

Ney Mourão é jornalista e educador. Especialista em Educação a Distância. Poeta; autor do livro "Notas Dispersas pelas Paredes" (Editora Autêntica). Interessado em PESSOAS, tem formação em Terapias Holísticas (Reiki, Shiatsu, Reflexologia Podal, Florais de Bach, Aromaterapia). Em seus atendimentos, prefere dizer que acalenta almas para que estejam bem em seus corpos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *