Mensagem em 26 de fevereiro de 2011

Muitos tendem a pensar em coragem como algo relacionado a grandes feitos, como algo relacionado a grandes medidas, com atos heroicos. Muitos pensam “Deus, dai-me coragem.  Dai-me coragem para o dia de amanhã. Dai-me coragem para o dia de hoje. Dai-me coragem para o enfrentamento das intempéries, dos vendavais. Dai-me coragem para os desmoronamentos”.

Mas, em vossa língua, o significado coragem, é muito belo e esperançoso. Coragem vem de “coeur” (coração) e “age” (agir). Agir com o coração! Agir com o coração em todos os dias. Agir com o coração em relação ao outro. Agir com o coração em relação ao irmão. Isso é a maior coragem.

Ajam com o coração perante o vizinho. Ajam com o coração, tendo coragem de enfrentar o seu inimigo, não com ódio, não com desamor, não com desafeto, mas com a tentativa de compreensão, imaginando que à frente daquele que vocês julgam como inimigo há também um ser humano, dotado de alma, espírito, energia divina, centelha divina. Uma centelha divina, uma fração bilionésima dessa centelha é capaz de dar vida e movimentar um ser humano. Imaginem toda essa energia pulsando em volta de vocês, no orbe planetário e em todo o Universo. Isso, sim, um ato de grande coragem do Criador: agir com o coração dessa energia e do amor, para originar esse Universo, esse Planeta, criar tudo o que está aqui.  Pensem na dádiva de fazerem parte dessa magia, desse mistério, dessa grande corrente universal repleta de amorosidade. Tudo é amor e transborda amor.

Eis a maior coragem: a coragem de estar com outro e estar de braços abertos. A coragem de estar com o outro e dizer: há, aqui, um irmão. Um irmão no escritório, no lar, na rua. Mesmo os que você não conhece, todos os que estão longe, distantes, professando outras crenças e outras formas de agir e pensar, serem encarados como irmãos – essa a maior coragem.

Não é necessário nenhum heroísmo, lança, escudo ou garra. Nada disso. Apenas abrir seus corações. Quando os corações estiverem abertos, totalmente abertos, a compreensão chegará gradativa, paulatinamente e devagar, como deve ser.

Abram o coração. Tenham essa coragem dessa abertura. Como? Aos poucos, devagar, fazendo um dia após  dia, um passo atrás do passo. Nada de imaginar-se subindo dez, cem, mil degraus, ao mesmo tempo. Não!   Só se chega ao cume da montanha passando, antes, pelo primeiro pedregulho que está embaixo, no sopé dessa montanha, lá embaixo. Essa a maior coragem: coragem da humildade, coragem da alegria, da simplicidade, da fé, da caridade. Coeur- age, agir com o coração.

Ajam mais com o coração do que com a mente. Ajam mais pensando na riqueza que cabe no coração do que na riqueza que cabe nos bolsos, nas algibeiras, nos bancos, nos cofres, debaixo dos colchões. Nada disso levarão desse plano. Levarão, sim, a coragem verdadeira. O sentimento divino que está em seus corações. O verbo AGIR e o coração pulsante de energia que está ali, guardado. Vigilantes, ativos e amorosos.

Meus irmãos, que os anjos, feitos da mesma matéria de que é feita a centelha divina presente em seus corações, e que povoam o espaço bem próximo a todos vocês, os abracem, os acalentem e os ajudem. Todos os anjos do Universo torcem por vocês. Coragem! Vocês têm. Está aí dentro, nesse órgão que pulsa. Ajam! Vigiem, orem e ajam! Que Deus os abençoe, hoje e sempre.

Samuel.

Related Posts with Thumbnails

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *