Plantas medicinais têm eficácia reconhecida em manual da Anvisa

Isso mesmo! O que a turma de terapeutas e integrantes da Rede Zenitude estão sabendo há tempos agora tem o reconhecimento da Associação Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa. Mil-Folhas para cólicas, alho para abaixar o colesterol ruim, arnica como antiinflamatório, canela para a falta de apetite, mulungu como calmante, folhas de pitangueira para diarréia e da goiabeira, também para diarréia e antisséptico bucal. Dicas de nossas avós, que agora estão, com receita de preparo e tudo, no órgão oficial de vigilância em saúde no Brasil.

É o reconhecimento de que muito do que consumimos, em termos de medicamentos industrializados, poderia ser substituído por soluções terapêuticas naturais, menos agressivas para o corpo e responsáveis por um malhor equilíbrio orgânico. Sabemos, inclusive, que há um grande interesse nos grandes laboratórios nacionais em nossa biodiversidade vegetal e até mesmo a tentativa de patentear a extração e a manipulação de alguns desses espécimes.

Portanto, vamos lá. Redescobrindo a medicina natural. Usando com o devido cuidado, pois há, sim, efeitos colaterais e contra-indicações em alguns produtos.

Para ter acesso ao Manual completo da Anvisa, com 25 páginas, com as indicações de uso, propriedades terapêuticas e outras características das plantas medicinais, basta clicar aqui.  

Related Posts with Thumbnails

Autor: Ney Mourão

Ney Mourão é jornalista e educador. Especialista em Educação a Distância. Poeta; autor do livro "Notas Dispersas pelas Paredes" (Editora Autêntica). Interessado em PESSOAS, tem formação em Terapias Holísticas (Reiki, Shiatsu, Reflexologia Podal, Florais de Bach, Aromaterapia). Em seus atendimentos, prefere dizer que acalenta almas para que estejam bem em seus corpos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *