Celebrando a Energia dos Anjos – Mais do que treze momentos para lembrar!

 

(Veja, aqui, fotos do IV Retiro Vivencial – “Celebrando a Energia dos Anjos”)
(Assista ao vídeo-recordação do Retiro)

Treze! Há muito tempo, na região da Provença, os festejos natalinos eram celebrados com treze sobremesas. Na Romênia, a data era lembrada com treze pratos de peixe à mesa.

Para os cristãos católicos, o número tem um marco importante: por ocasião do Concílio Vaticano II, o famoso Schéma XIII foi considerado um dos documentos determinantes, que marcou a entrada da Igreja em uma nova era, “a passagem para um outro plano”, voltado para as preocupações com a transcendência e o alcance de uma consciência mais profunda.

Na Numerologia, o número13 sugere a morte da matéria e o nascimento do espírito, a passagem para um plano superior de existência. O número treze representa a transformação. O treze, reduzido à sua soma quatro (1 + 3 = 4),  mostra um trabalho evolutivo. No Tarô, é temido por alguns como o número da morte. No entanto, é preciso compreender que ele a representa, mas não no sentido comum, físico. A morte é uma simples alteração, necessária para um início inspirador, uma nova tomada de consciência. Quando nascemos nesta vida, morremos num outro nível de existência. Quando nos formamos, morremos como estudante e nascemos como profissional. No casamento, cada um morre como entidade isolada para renascer como dupla. Transformação é a palavra-chave do treze.

Havia doze discípulos, e Jesus era o décimo terceiro. Há doze signos no zodíaco, com o Sol no centro. O número 13 é sagrado, assim como quaisquer de seus múltiplos. Identifica um iniciado ou alguém que renasceu através dos poderes mentais da transmutação. O número 13 é preservado nas medidas da Grande Pirâmide.

Representa um momento e não um processo. É o ponto entre o antes e o depois, o momento exato do corte e da transformação. Nos passos da iniciação, é a morte do ego dando lugar a um outro ser. Destrói-se a personalidade para recriá-la sob um novo aspecto: a comunhão com o ego universal.  Acima de tudo, o treze é capaz de provocar mudanças pacíficas, que poderão melhorar os padrões de vida do mundo. Os cortes são necessários para que se possa colher os frutos maduros.

Os astecas acreditavam em treze céus e sua semana tinha treze dias. E o calendário maia, também chamado Calendário do Novo Tempo ou Calendário da Paz, é composto por treze luas, cada uma de vinte e oito dias.

Para a Rede Zenitude, treze tem sido um número especial. Em nossos quatro retiros vivenciais, tivemos sempre 13 pessoas presentes! E é bastante comum que nossos momentos mais marcantes e repletos de energia aconteçam com 13 pessoas reunidas.

Foi assim, mais uma vez, em maio, no Retiro Vivencial cujo tema foi “Celebrando a Energia dos Anjos”. Um encontro mágico, renovador. Nele, vivenciamos a força poderosa dos anjos, sua inspiração e sua orientação para o louvor ao Criador como razão de estarmos vivenciando nossa trajetória humana.

Desde o primeiro rito de chegada, quando, caminhando sobre uma trilha que lembrava o céu e as nuvens, ao som de um saxofone tocado com as mãos e a alma pelo talentoso João Pedro Quaresma – com certeza, inspirado por anjos -, tivemos o primeiro encontro com os anjos de cada um dos presentes. Ali, sob a música acolhedora e um luz suave, lemos as mensagens que pareciam ter vindo direto das esferas angelicais para os nossos corações. Lua e estrelas ajudaram a compor o cenário, no ambiente deslumbrante, uma natureza que, todos os dias, nos ajuda a lembrar a dádiva da Fonte Divina da qual fazemos parte. Antes da paz do recolhimento, um filme com uma mensagem iluminada e o jantar, feito por Neusa, nossa nova amiga, enviada pelos anjos, de quem não pretendemos largar mais. Lá, lá pelos lados dos céus, com certeza, os banquetes divinos, inundados de carinho, devem ter o sabor dos temperos de Neusa!

E assim foi, momento a momento. Momento de ser criança e descobrir, em um pique-esconde com os anjinhos, que somos todos uma só família: a grande família cósmica universal. Um preparativo para o V Retiro Vivencial, quando o tema será, justamente, “Família”. Momento de aprender, refletir e dialogar, com a palestra de rico conteúdo de Ricardo Quaresma Chaves, abordando o tema dos anjos na visão evangélica e um apanhado histórico e antropológico, com Ney Mourão, esse redator que agora lhes relata nesse texto. E


E assim fomos, treze à mesa, saboreando o fruto de uma vivência profunda em acolhimento, tolerância às diversidades e abertura ao encontro. E assim fomos, por três dias, treze almas buscando a conexão com os anjos na Biodança com Simone Noronha, na vivência conduzida por Maura Oliveira e na deliciosa dinâmica elaborada por Ana Paula Oliveira e Reginaldo Rosa – haja energia, para descobrir tantos anjos escondidos. Haja emoção nada contida, para conseguir ler tantas mensagens deixadas, com carinho, em cada envelope – todas elas, “mera coincidência”, chegando ao seu dono-destino de forma oportuna, dizendo aquilo que era necessário, no momento certo, para as perguntas que pairavam no ar.


Sim! Mais uma vez, treze foi um número mágico e transformador. Estamos vivenciando, todos os dias, essa certeza: de que podemos nos transformar e transformar o mundo para melhor. Com pequenas atitudes, posturas, encontros, atos e reflexões.

Desejamos, no entanto, que esse número possa se multiplicar. Treze vezes treze elevado a décima terceira potência. Em alcance numérico, em alcance geográfico, em alcance energético. Que cada um dos que passam todos os dias por nossas vidas sintam essa energia transformadora, essa pequena mas significativa centelha capaz de aquecer ao nosso redor.

Desejamos que você, que agora nos lê, e que não esteve conosco, fisicamente, seja invadido por esse sentimento bom que trazem os anjos a pedido de Deus. Que vocês, que lá estiveram, continuem sob a guarda dos anjos protetores e fortes, livres do mal, esforçando-se por trilhar os caminhos do bem, em direção à Fonte, realizando mais o que devemos do que o que queremos, sempre a serviço de Deus e do próximo.

Que assim seja, pois os anjos, em uníssono, já disseram “AMÉM”!

 


 


IV Celebrando – Celebrando a energia dos anjos