Celebrando a energia dos anjos

Desde as mais remotas culturas, os anjos povoam o imaginário humano.  Eles são citados na Bíblia e em outros livros sagrados. Sua interferência no cotidiano dos homens e das nações é admitida nas mais diversas crenças e até mesmo em registros históricos.  Guardiões, protetores, guias, auxiliares na busca do bem, emissários divinos.

Qual o papel dos anjos e sua influência na cultura humana? Como conectar-se com a energia angelical? Como trazer os exemplos de bondade, força e ternura, tão comuns nas citações sobre anjos, para o nosso cotidiano?

Em maio, nos dias 20, 21 e 22, a Rede Zenitude realizará a sua quarta edição do Retiro Vivencial e de Desenvolvimento Humano, o “Encontro Celebrando”. Nosso momento de celebrar a existência e o anseio de progresso físico, mental e espiritual dos seres e do Planeta. Em meio à beleza e serenidade da natureza, serão realizados estudos, reflexões e vivências sobre o tema “A Energia dos Anjos”. O tema será abordado sob um ponto de vista holístico, desvinculado de dogmas religiosos, respeitando-se a diversidade e promovendo a tolerância. Além das atividades relacionadas ao tema, desfrutaremos de bons momentos de alegria, lazer e alimentação saudáveis, práticas de relaxamento.

O número de vagas é limitado, para garantir o conforto, a integração e a qualidade das práticas, reflexões e vivências. Brevemente, divulgaremos o valor da contribuição – destinada unicamente a cobrir as despesas de estada e alimentação dos participantes.

Participe do passeio vivencial, no Dia do Abraço Planetário

No próximo domingo, dia 20 de março, pessoas e organizações de todo o mundo realizarão, às 13 horas, horário de Brasília, uma grande corrente planetária de abraços e vibrações, em prol da paz e da harmonia universais. A Rede Zenitude promoverá, no Parque Ecológico Lagoa do Nado, em Belo Horizonte, Minas Gerais, a partir das 10 da manhã, um passeio energético e vivencial. Na ocasião, além de juntarmo-nos ao abraço planetário, a formanda em fonoaudiologia, que se dedica aos estudos da comunicação interpessoal, Jéssica Rebelo, estará realizando um momento vivencial e de estudos com o tema “ABRAÇO”, envolvendo os participantes do passeio.

A vivência acontecerá em meio à natureza do Parque Ecológico e, em caso de chuva, em um dos ambientes cobertos do espaço.  A participação é aberta a todos os interessados.  Às 13 horas, hora do abraço planetário, será realizada uma sintonização de meditação e oração, em que participarão, também, membros da Rede Zenitude que estão localizados em outras partes do Brasil e do mundo. Junte-se a nós! Para a energia do amor, não existem fronteiras geográficas!

A Saúde e as Emoções

A entrevista abaixo é um excelente aprendizado sobre o papel que as emoções tem em nosso bem estar. E como isto tem sido discutido e apresentado ultimamente!

Na semana passada assisti a uma palestra sobre depressão e a oradora disse da importância de assumirmos para nós que sentimos inveja em alguns momentos. Sim, porque é difícil para nós assumirmos isto.  A sociedade nos ensina a viver dentro de um modelo onde de um lado está o bem e de o outro o mal. Grande parte de nós acha que determinadas emoções e sentimentos nos colocam do lado do mal e não é assim. Podemos sentir inveja, sim. Mas, o que vamos fazer com esta inveja é que define o nosso caráter. Um estado emocional momentâneo não é determinante de nosso EU. Não é por que fazemos um determinado ato de caridade que somos uma pessoa altamente evoluída, assim como não é porque sentimos raiva ou inveja em determinadas situações que iremos nos sentir o pior dos seres humanos.

Se o companheiro de trabalho nos puxa o tapete, sentimos raiva, ficamos decepcionados. Penso  que dizer que iremos dar a outra face para que ele bata é nos agridir. Não estamos neste nível ainda. Aí, muitas vezes, reprimimos a emoção e nos detonamos!

Que, a partir da leitura da entrevista do Dr. Jorge Carvajal, possamos refletir sobre o que temos feito com nossas emoções.

Jorge Carvahal

Entrevista com o Dr. Jorge Carvajal, médico cirurgião da Universidade de Andaluzia, Espanha, pioneiro da Medicina Bioenergética. 10 de març0 de 2009.

Na realidade, boa parte das enfermidades são exatamente o contrário: são a resistência do corpo emocional e mental à alma . Quando nossa personalidade resiste aos desígnios da alma, adoecemos.

A Saúde e as Emoções

Há emoções prejudiciais à saúde?  Quais são as que mais nos prejudicam?

70 por cento das enfermidades do ser humano vêm do campo da consciência emocional. As doenças muitas vezes procedem de emoções não processadas, não expressadas, reprimidas.  O medo, que é a ausência de amor, é a grande enfermidade, o denominador comum de boa parte das enfermidades que temos hoje. Quando o temor se congela, afeta os rins, as  glândulas suprarrenais, os ossos, a energia vital, e pode converter-se em pânico.

Então nos fazemos de fortes e descuidamos de nossa saúde?

De heróis os cemitérios estão cheios. Tens que cuidar de ti. Tens teus limites, não vás além.    Tens que reconhecer quais são os teus limites e superá-los, pois, se não os reconheceres, vais destruir teu corpo.

Como é que a raiva nos afeta?

A raiva é santa, é sagrada, é uma emoção positiva, porque te leva à autoafirmação, à busca do teu território, a defender o que é teu, o que é justo. Porém, quando a raiva se torna irritabilidade, agressividade, ressentimento, ódio, ela se volta contra ti e afeta o fígado, a digestão, o sistema imunológico.

Então a alegria, ao contrário, nos ajuda a permanecer saudáveis?

A alegria é a mais bela das emoções, porque é a emoção da inocência, do coração e é a mais curativa de todas, porque não é contrária a nenhuma  outra. Um pouquinho de tristeza com alegria escreve poemas. A alegria com medo leva-nos a contextualizar o medo e a não lhe darmos tanta importância.

A alegria acalma os ânimos?

Sim, a alegria suaviza todas as outras emoções, porque nos permite processá-las a partir da inocência. A alegria põe as outras emoções em contato com o coração e dá-lhes um sentido ascendente. Canaliza-as para que cheguem ao mundo da mente.

E a tristeza?

A tristeza é um sentimento que pode te levar à depressão quando te deixas envolver por ela e não a expressas, porém ela também pode te ajudar. A tristeza te leva a contatares contigo mesmo e a restaurares o controle interno. Todas as emoções negativas têm seu próprio aspecto positivo.  Tornamo-las negativas quando as reprimimos.

Convém aceitarmos essas emoções que consideramos negativas como parte de nós mesmos?

Como parte para transformá-las, ou seja, quando se aceitam, fluem, e já não se estancam e podem se transmutar. Temos de as canalizar para que cheguem à cabeça a partir do coração. Que difícil!  Sim, é muito difícil. Realmente as emoções básicas são o amor e o medo (que é ausência de amor), de modo que tudo que existe é amor, por excesso ou deficiência. Construtivo ou destrutivo. Porque também existe o amor que se aferra, o amor que superprotege, o amor tóxico, destrutivo.

Fonte: texto da entrevista recebido através do grupo de discussão da Rede Zenitude, mantido noYahoo Grupos.

Caminhando, cantando e redescobrindo valores

Uma das contribuições da Rede Zenitude para meu dia-a-dia foi o gosto pelas caminhadas em meio à natureza. Até há bem pouco tempo, caminhar alguns quilômetros, sentindo o ar puro e a energia da natureza, estava fora de cogitação. Hoje, as caminhadas energéticas são para mim uma fonte de revitalização. No dia 18 de julho, nossas energias foram recarregadas, em um local muito agradável, chamado Parque Pedagógico Quinta dos Cristais. O local foi selecionado a partir de pesquisas na internet e acreditávamos que ninguém do grupo o conhecia. Chegando lá, uma agradável surpresa. Eu, Ney Mourão e Rosângela Rocha já havíamos estado lá, porém usufruindo apenas do restaurante, um local agradabilíssimo onde se come folha de assa-peixe frita à milanesa, como se estivesse comendo um peixe frito. Isto mesmo, o gosto é muito parecido. Vale a pena conferir.

Ao chegarmos ao parque, fomos muito bem recebidos pelo proprietário, que nos relatou sua experiência com o local, declamou belos poemas e ainda participou da oração de preparação para a caminhada. Caminhamos alguns quilômetros, sendo grande parte em região íngrime, porém de acesso relativamente fácil. O sol nos presenteava com momentos de brilho e calor intenso alternados com momentos nublados e de agradável frescor.

Ao final da trilha, uma visão estonteante. No ponto mais alto do parque, uma pirâmide convidava-nos ao descanso. Dentro da pirâmide, podemos ter uma visão em 360 graus da região. Imersos na beleza e na paz que o momento nos proporcionou, iniciamos nossa preparação para a sintonização energética, ao meio-dia, com os demais membros da Rede presentes em outros locais. Embalados por belos cânticos, formamos o círculo de mentalização e, emocionados, entramos em sintonia com planos superiores. Belas palavras e importantes ensinamentos chegaram até nós, dos quais destaco dois: “o mal tem força, mas só o bem tem poder” e “orai e vigiai, mas antes de tudo vigiai”.

As palavras nos deram ciência de que estamos em um caminho sem volta onde cada um, a cada encontro, adquire mais conhecimento e responsabilidades. Ouvimos que este conhecimento torna-se de cada um e por mais que ele não seja utilizado, não há como se desfazer dele. Seria como uma mochila que carregamos e que iremos levar sempre conosco, utilizando ou não. Nesta óptica, não utilizar torna-se irracional, pois é um bem que podemos causar a nós e aos outros. Ouvimos, também, que a natureza busca o equilíbrio e a existência do mal faz parte desta busca. No entanto, o mal possui uma determinada força, porém não possui o poder. Quando a força do mal sobrepõe-se, é sinal de que estamos dando poder a ela, de forma inconsciente, é claro! Percebemos, aí, o quanto é importante o ensinamento sobre a necessidade de vigiar, constantemente. É preciso que estejamos atentos aos nossos atos, nossos pensamentos, nossas vibrações. Nós, humanidade, estamos com a faca e o queijo nas mãos. Basta sabermos cortar.

Após a sintonização energética, fizemos um breve lanche, seguido de uma sessão de fotos. No retorno, alegria e descontração, rumo ao piquenique final. Regressamos para Belo Horizonte às 16 horas, refeitos energeticamente e, principalmente, satisfeitos, por termos dados nossa contribuição para a busca do equilíbrio vibracional do planeta.

Meditação: grande aliada na promoção da saúde

Em encontros da Rede Zenitude, temos praticado a meditação, sempre com excelentes sentimentos e resultados de bem-estar e conforto.  A meditação é praticada cada vez mais em todo o mundo e, nos últimos anos, foi “descoberta” pelos ocidentais, que têm visto, na técnica, benefícios para a saúde física e mental. Agora, uma das principais revistas científicas do planeta divulgou uma pesquisa que confirma, de forma definitiva, o lado positivo da meditação.

Nesse breve artigo, além dos dados da pesquisa, vamos dar algumas dicas, para você se “iniciar” nessa técnica. São exercícios bem simples, que não exigem grande formação ou esforço, e que podem ser praticados no seu dia-a-dia. Experimente. Voc6e, com certeza, vai retornar aqui, para nos relatar mudanças.

A PESQUISA
Os dados são surpreendentes. Comparada com os efeitos produzidos apenas por medicamentos, a meditação transcendental diminuiu em 49% as mortes por câncer, em 30% as decorrentes de problemas cardiovasculares e em 23% as provocadas por doenças em geral. O estudo foi divulgado no conceituadíssimo periódico científico  American Journal of Cardiology. Teve a duração de nada menos que 18 anos e foi realizado com 202 homens e mulheres idosos e hipertensos que se dedicaram a essa prática sistematicamente. Duas vezes, diariamente, durante 20 minutos – nada além disso.

Note que o estudo se refere à meditação transcendental, uma entre as cerca de 6 mil técnicas meditativas existentes no mundo. Não que as demais não sejam eficazes. São e isso já está mais do que comprovado. “Todas causam um estado de relaxamento psicofísico”, explica Roberto Cardoso, professor do Curso de Especialização em Medicina Comportamental da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O que diferencia a transcendental das demais é, além da simplicidade, a rapidez de seus efeitos. “Ela age de forma surpreendente desde os minutos iniciais, permitindo que o corpo descanse duas vezes mais do que durante o sono”, afirma Robert Schneider, diretor do Centro de Prevenção e Medicina Natural da Universidade Maharishi, em Iowa, nos Estados Unidos, e um dos principais autores da pesquisa. Relativamente nova, foi criada há cerca de 40 anos por Maharishi Mahesh Yogi, que se tornou famoso depois de virar o guru dos Beatles.

Um dos diferenciais da meditação transcendental é que ela não possui um cunho religioso, não requer rituais ou a repetição de complicadas palavras em sânscrito, língua indiana predominante em religiões como o budismo e o hinduísmo. Basta sentar-se, confortavelmente, e nem é necessário, obrigatoriamente, que seja na clássica posição de lótus e meditar, sem a necessidade de total isolamento. No chão ou numa cadeira, num sítio bucólico ou numa movimentadíssima avenida, no trajeto do trânsito, não importa. O resultado é o mesmo, desde que, é claro, você se mantenha numa posição que não force os ossos nem os músculos. Segundo especialistas, o corpo e a mente entram num estado de relaxamento profundo que ajuda a eliminar o estresse. “Ao permitir ao corpo esse descanso, a inteligência interna desperta e restaura o que estiver em desequilíbrio”, explica Schneider.

Traduzindo, de forma simples, a meditação faz aumentar as ondas alfa no cérebro, relacionadas ao relaxamento. Nesse estado, cai o consumo de oxigênio, desaceleram-se os batimentos cardíacos e o metabolismo inteiro diminui. Em outras palavras, o organismo gasta menos energia para funcionar. “Isso representa um tremendo repouso”, diz Cardoso. Sem contar que a prática regular reduz o estado de alerta permanente,a nossa eterna e negativa mania de estarmos sempre ligados em tudo. De forma efetiva e eficaz, manda-se embora a ansiedade. “Depois de dois ou três dias, já dá para sentir maior serenidade interior”, garante Markus Schuler, professor da Sociedade Internacional de Meditação Transcendental, em São Paulo.

Meditar significaria, então, a cura de todos os males? Para o acupunturista Norvan Martino Leite, de São Paulo, esse é um treinamento mental que pode ajudar a debelar muitas doenças. “Não existe técnica milagrosa”, diz ele, que ensina um método meditativo chinês aos seus pacientes. “A prática regular cria condições para resolver os problemas e, assim, melhorar a saúde”, afirma.

Na raiz de grande parte das doenças estaria o estresse, que, como se sabe, dá maus frutos. “Ele aumenta o desequilíbrio de hormônios, como o cortisol, que inflama as artérias. Isso causa hipertensão e pode resultar em derrames e ataques cardíacos”, resume Robert Schneider. A meditação transcendental, utilizada no estudo, confirmou algo que os cientistas já suspeitavam: ela contribui até para evitar o acúmulo de placas gordurosas nas artérias do coração, a temida aterosclerose.

Outros estudos
Há mais de 30 anos a Medicina estuda os benefícios dessa prática milenar, seja para prevenir doenças, seja para tratá-las ou mesmo servir de atalho para a cura. Além de ensinar nosso organismo a gastar menos energia e dar um breque no efeito dominó do estresse, a meditação nos ajuda a raciocinar melhor.

Segundo pesquisadores da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, a prática aumenta a atividade na região frontal do cérebro, responsável pela concentração, abstração e atenção. Outros estudos também comprovaram que a meditação retarda o envelhecimento, melhora a qualidade de vida de portadores de doenças graves e auxilia na redução do consumo de cigarro, álcool e outras drogas.

///////////////////////

Passo-a-passo
Aprenda a técnica básica da meditação.

Inspire e expire sempre pelo nariz.

1. Com uma roupa confortável e os pés descalços, sente-se num local onde se sinta bem acomodado. Se for numa cadeira, fique na ponta para apoiar os pés no chão. Numa almofada, cruze as pernas.  
  2. Encaixe os quadris e mantenha a coluna ereta. Solte os ombros, para não forçar a musculatura. Evite mudar de posição, mesmo que sinta dor e desconforto. Isso facilita a concentração e evita os pensamentos dispersivos.
3. Para manter a cabeça na linha da coluna, incline suavemente o queixo para baixo até que ele fique paralelo ao corpo. A língua no céu da boca facilita a passagem da saliva. Mantenha os olhos semi-abertos e fixe-os num ponto, para não adormecer.  
  4. Deposite suavemente a mão direita sobre a esquerda e una a ponta dos polegares. Repouse as mãos nesta posição em seu colo. Agora, procure esvaziar a mente, sem se concentrar em nenhum pensamento. Permaneça assim, por aproximadamente 20 minutos, MAS SEM SE PREOCUPAR COM O RELÓGIO. Com o tempo, seu organismo, como um todo “dirá” a hora de terminar.