Por que nem sempre alcançamos o que buscamos?

É consenso entre as religiões e doutrinas que existem forças paralelas ao nosso mundo, voltadas à promoção de sentimentos desconectados de bons propósitos.

Acredito ser consenso, também, que, muitas vezes, o desejo destas forças prevalece sobre nossos desejos. Mas, por que será? Por que muitas vezes buscamos algo que acreditamos ser importante para nosso crescimento e, apesar de desejar bastante e pedir ao Pai que nos conduza rumo a este caminho, mesmo assim não o alcançamos?

Creio que, em primeiro lugar, temos que ter ciência de que nem sempre aquilo que acreditamos ser o melhor para nós é realmente o melhor para nós. E Deus, nosso pai, conhece-nos bem, sabe o que realmente precisamos. Às vezes, não adianta pedir a Ele que nos permita comprar uma casa de cinco quartos, se não teremos como pagar o IPTU, manter a casa limpa etc… E, ainda, endividar-nos, a ponto de não conseguirmos pagar a aquisição e perdê-la logo à frente.

Mas, existem outros fatores que podem influenciar no processo de alcance de nossos objetivos. Muitas vezes, o que pedimos, o que desejamos faz parte de nosso caminho, sim. E, ao pedirmos, Nosso Pai prontamente permite que o alcancemos. Porém, apesar de todos os caminhos abertos, o pedido não chega. Por que será? Até que ponto as forças negativas podem influenciar?

Hoje pela manhã, li um texto sobre fé que utiliza uma metáfora muito interessante. Quando o lavrador planta uma semente na terra fértil, ele cuida dela diariamente: rega, aduba… Mas, em nenhum momento, ele vai lá e desenterra-a para ver se a semente está germinando. Ele tem certeza de que ela germinará. É o processo natural e ele acredita nisto!

Quando fazemos um pedido ao Pai, temos que partir do princípio de que, se aquilo faz parte de nosso crescimento, se nos fará bem, Deus nos concederá! E, a partir daí, temos que nos preparar para receber o que pedimos. Fazer exatamente o que o lavrador faz. Cuidar do terreno e da semente, arar, adubar, regar. E, em nenhum momento, desacreditar ou “experimentar” situações que questionem a chegada daquilo que almejamos. Pedir ao Pai, trabalhar por aquilo e preparar o terreno, apenas isto!

Porém, vivemos em um mundo onde ainda existe o bem e o mal. Em nossa trajetória evolutiva, por diversas vezes, assumimos papéis muito mais próximos do mal do que do bem. E isto gera dívidas, gera cobranças futuras, gera relações onde o outro passa a não querer o nosso bem integral.

Hoje, ao fazermos um pedido ao nosso Pai, talvez um irmão nosso peça exatamente o contrário, por acreditar que o nosso crescimento, a nossa satisfação represente para ele uma derrota. Infelizmente, existem situações como a seguir: Pedro deseja muito ser promovido. Porém, Paulo, seu colega de trabalho, não consegue acertar-se na empresa, está lá há muito mais tempo do que Pedro, porém estagnado na função. Paulo torce para que Pedro não seja promovido, pois se sentirá ainda mais inferiorizado. Pedro e Paulo são filhos de Deus. E o Pai, em sua infinita graça e amor concede aos filhos aquilo que lhe pedem e lhes faz o bem. Imaginemos que Pedro, apesar de um excelente funcionário e desejar muito a promoção, não cuida do terreno, não rega a semente. Ou seja, não se mantém vigilante quanto às energias negativas que o circundam. Não se mantém conectado a forças superiores, principalmente quando chega ao trabalho. Já Paulo, o irmão menos ligado ao bem, movido pelo sentimento de inveja, deposita em Pedro as energias mais pesadas, torce insistentemente para que o outro cometa erros. Consciente ou inconscientemente, liga-se à forças negativas que se alimentam de sentimentos de inveja, dor e raiva.

Nosso Pai, que ama seus filhos por igual, permite que a vida aconteça em sintonia com o que buscamos energeticamente. Pedro, apesar de competente, esqueceu de “cuidar” do que buscava. Paulo, ao contrário, e infelizmente, acreditou que a ascensão de Pedro representaria sua queda e trabalhou para que isto não acontecesse. Resultado: João, um funcionário de outro setor, foi chamado para o cargo que Pedro desejava.

A partir de hoje, quando fizer um pedido ao Pai, prepare-se para ser atendido. Acredite nisto e não fique a cada dia “verificando se a semente está germinando”. Se é uma casa nova, pense nos móveis que terá lá dentro, defina como pagará por ela. Se é um carro novo, já comece a pesquisar valor de seguro, escolha a cor, modelo etc.

Caso o pedido não sejam bens materiais, mas um estado de espírito, procure por situações que o deixe neste estado. Se deseja sair de uma depressão, por exemplo, busque locais onde as energias positivas e felizes prevalecem. E este local pode ser a sua própria casa. Faça dela o seu abrigo, o seu oásis de energias positivas.

Se o desejo é livrar-se de um vício, para quê ficar testando, se aquilo já não lhe causa mais prazer. Esqueça-o e tente passar a viver uma vida sem ele.

É como nos disse Jesus:

“Respondeu-lhe o Senhor: Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a esta amoreira: Arranca-te e transplanta-te no mar; e ela vos obedecerá” (Lc 17.6).

“Pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele passará. Nada vos será impossível” (Mt 17.20).

Em 25 de setembro de 2010

Meus caros irmãos… Paz!

Chegamos nesse lar, tocados pela brisa, tocados por um oceano de bênçãos, tocados por corações que, acima de tudo, reconhecem que serem humildes e pequenos é o caminho para retornar à Casa do Pai e ao grande oceano de energias que fez com esse Universo desencadeasse ondas de amor, paz, alegria, vida, que os seres que aqui habitam, plenos de parte dessa Inteligência, chamam “Terra”.

Irmãos, a brisa que agora acalenta vossos corpos, a brisa que, nesse momento, toca vossas nucas, vossa pele e que roça vossos cabelos, essa brisa que veio das instâncias celestiais, é uma brisa de afago, violeta, branca, dourada, prateada… 

Há uma irmã que tem na porta de casa um símbolo representativo do que, na esfera angelical, acreditamos como necessário para entender a completude humana nesse Universo.  Imaginem: uma árvore forte, frondosa, fincada no solo. Nessa árvore, parte dela é um ciclo; outra parte, outro ciclo; outra parte, outro ciclo; outra parte, outro ciclo. Assim são vocês: completos!  Ciclos, dentro de um grande, mágico e lindo universo chamado “Humanidade”.  E essa humanidade é parte de um todo. Ouçam que, nesse momento, até mesmo o que ouvem, de música que toca, tem também um significado profundo e foi inspirado para que um dia a humanidade pudesse ouvir. Ouvir e ser tocada por beleza, por magia, por simplicidade. (*)

É assim: simplicidade. Vocês caminham, em passos pequenos, às vezes oscilantes, às vezes dois passos à frente, três atrás; um à frente, dez atrás. É assim mesmo. No entanto, um passo dado à frente, vencendo obstáculos, é suficiente na tentativa de retornar à Casa. De retornar à origem . E a origem é: plenitude, desenvolvimento, harmonia, equilíbrio. A árvore, copada, frondosa, carrega em si Primavera florida; carrega em si, também, Outono; carrega em si Inverno e a radiância do Verão. Todos vocês têm dentro de si a possibilidade concreta de cada um desses ciclos e em cada um há beleza.

Celebrem, sim, a Primavera. Celebrem, sim, o Verão, o Inverno, o Outono. Celebrem a Terra. Celebrem o Universo. Celebrem vocês. Celebrem a criança que existe dentro de cada um. Celebrem, com respeito, a maturidade da chegada à idade adulta, à idade mais avançada, porque lá está não só o conhecimento, mas também a sabedoria.

Um dia, todos, todos, todos retornarão à grande Casa da Sabedoria. Uns, com mais uma, outra, outras tantas jornadas… grandes jornadas. Outros, poucas jornadas pela frente. Outros estão aqui, com certeza, porque escolheram, como missão, vir e conduzir jornadas. Ajudem uns aos outros. Ajudem. Sejam âncoras, elos, teias. Guardiões, como vocês mesmos dizem. Guardiões uns dos outros. Guardiões do mundo. Mas com hulmildade, serenidade de aceitar falhas, desvios.  Aceitem-se, todos os dias. Mas, reconhecendo falhas, progridam, lutem para progredir. Um passo à frente. Que dez sejam dados atrás. Mas UM à frente.

Como as naves de energia que percorrem as instâncias celestiais, às vezes é necessário desviar de rotas. Desviar de corpos celestes pelos caminhos. Vocês também. São necessários desvios. Mas, acima de tudo, tenham CONFIANÇA NA CHEGADA. Há, em torno de  vocês, amigos celestiais que os ajudarão. Se mantiverem, em seus corações, humildade,serenidade, consciência, bom senso, serão ajudados a ajudar. Essa é a grande missão de todos aqui nesse plano: AJUDAR A AJUDAR. Em maior ou menor nível, em maior ou menor hierarquia.

Agradecemos, mais uma vez, a oportunidade do contato com vocês.

(Ariel) 

(*) Nesse momento da canalização, havia um rádio sintonizado na proximidade que, após tocar uma sequência interminável de “funks”, como por encanto sintonizou uma estação em que a música “Heal de World” era executada. Abaixo, a letra e a tradução da canção:

Heal the World (Michael Jackson)

”Think about the generations and they say:
– We want to make it a better place
For our children
And our children’s children

So that they know
It’s a better world for them
And think if they can
Make it a better place?”

There’s a place in your heart
And I know that it is love
And this place could be
Much brighter than tomorrow

And if you really try
You’ll find there’s no need to cry
In this place you’ll feel
There’s no hurt or sorrow

There are ways to get there
If you care enough for the living
Make a little space
Make a better place

Heal the world
Make it a better place
For you and for me
And the entire human race

There are people dying
If you care enough for the living
Make it a better place
For you and for me

If you want to know why
There’s love that cannot lie
Love is strong
It only cares of joyful giving

If we try we shall see
In this bliss
We cannot feel fear or dread
We stop existing and start living

Then it feels that always
Love’s enough for us growing
So make a better world
Make a better world

Heal the world
Make it a better place
For you and for me
And the entire human race

There are people dying
If you care enough for the living
Make a better place
For you and for me

And the dream we were conceived in
Will reveal a joyful face
And the world we once believed in
Will shine again in grace

Then why do we keep strangling life
Wound this earth, crucify its soul
Though it’s plain to see
This world is heavenly, be God’s glow

We could fly so high
Let our spirits never die
In my heart I feel
You are all my brothers

Create a world with no fear
Together we’ll cry happy tears
See the nations turn their swords
Into plowshares

We could really get there
If you cared enough for the living
Make a little space
To make a better place

Heal the world
Make it a better place
For you and for me
And the entire human race

There are people dying
If you care enough for the living
Make a better place
For you and for me

There are people dying
If you care enough for the living
Make a better place
For you and for me

You and for me
(Make a better place)

You and for me
(Heal the world we live in)
You and for me
(Save it for our children)


Tradução: 

Cure o Mundo“Pense sobre as gerações e eles dizem:
Nós queremos fazer dele um lugar melhor
Para nossos filhos
E filhos dos nossos filhos.

Para que eles saibam
Que é um mundo melhor para eles
E acho que eles podem
Torná-lo um lugar melhor.
Há um lugar no seu coração
E eu sei que é amor
E este lugar pode ser
Muito mais brilhante do que amanhã

E se você realmente tentar
Você verá que não há necessidade de chorar
Neste lugar você vai sentir
Que não há mágoa ou tristeza

Há maneiras de chegar lá
Se você se importa o suficiente com a vida
Faça um pouco de espaço
Faça um lugar melhor

Cure o mundo
Torne-o um lugar melhor
Para você e para mim
E toda a raça humana

Há pessoas morrendo
Se você se importa o suficiente com a vida
Torne-o um lugar melhor
Para você e para mim

Se você quer saber porque
Há amor que não pode mentir
O amor é forte
Ele só se importa de dar alegria

Se tentarmos, vamos ver
Nesta aventura,
Não podemos sentir medo ou temor
Nós paramos de existir e começamos a viver
Em seguida, ele sente que sempre
O amor é suficiente para nós crescermos
Cure o mundo
Torne-o um lugar melhor
Para você e para mim
E toda a raça humana

Há pessoas morrendo
Se você se importa o suficiente com a vida
Torne-o um lugar melhor
Para você e para mim

E o sonho em que fomos concebidos
Vai mostrar um rosto alegre
E o mundo em que sempre acreditamos
Brilhará novamente em graça

Então por que continuamos estrangulando a vida
Ferindo a terra, crucificando a alma?
Embora seja fácil de ver
Este mundo é celestial, é brilho de Deus

Nós poderíamos voar tão alto
Nunca deixe nossos espíritos morrer
No meu coração eu sinto
Que são todos meus irmãos

Criar um mundo sem medo
Juntos nós vamos chorar lágrimas felizes
Veja as nações transformar as suas espadas
Em arados

Nós realmente poderíamos chegar lá
Se você se importou o suficiente com a vida
Faça um pouco de espaço
Para fazer um lugar melhor

Cure o mundo
Torne-o um lugar melhor
Para você e para mim
E toda a raça humana

Há pessoas morrendo
Se você se importa o suficiente com a vida
Torne-o um lugar melhor
Para você e para mim

Há pessoas morrendo
Se você se importa o suficiente com a vida
Torne-o um lugar melhor
Para você e para mim

Para você e para mim
(Torne-o um lugar melhor)

Para você e para mim
(Cure o mundo em que vivemos)
Para você e para mim
(Salve-o para os nossos filhos)

Sobre o cuidado no ato de ensinar e cuidar

Devemos ser cuidadosos, quando nos envolvemos com outros seres que, como nós, buscam  a evolução. Principalmente se o destino nos colocar em uma posição onde tenhamos a graça de estarmos em uma posição de podermos oferecer mais conhecimento do que receber. Precisamos ser cuidadosos, quando nos colocamos perante o outro como mestres, professores, tutores, mentores ou cuidadores. Todas essas palavras trazem em si um indicador de que o outro está “vindo a nós”. Nossa postura deve ser a de quem incentiva, no outro, aquilo que ele tem de melhor e não os valores que ele tem de pior consigo mesmo. Nossa postura deve ser a de quem valoriza o lado bom, as qualidades humanas, o belo a ser mostrado e não aquilo que sabemos que são defeitos morais a serem trabalhados e que não fazem parte do divino alojado na alma humana. Para esse outro lado, que costumamos associar às mazelas morais e espirituais, devemos ter a compaixão de tentar auxiliar, de tentar mostrar a necessidade de aprimoramento, com a firmeza daqueles que são convocados a estar no caminho do outro.

Quem não se sente ainda confortável para esse exercício, não deve usar para si o nome de cuidador, mestre, professor ou mentor, tendo o cuidado de não banalizar essas palavras cheias de bênçãos. E, se ainda não se sente capaz de trilhar os caminhos do bem-cuidar, deve adotar, pelo menos, o caminho da neutralidade, já que influenciar nos outros valores negativos é contribuir também negativamente para o atraso evolutivo alheio. Nessa roda de interações energéticas, não é pouco provável que aquele que poderia, sim, logo estar sendo um mestre, auxiliando outros nos caminhos da senda evolutiva, tenha que voltar à posição de discípulo, amparado pela graça do aprendizado que o Criador oferece a todos.

Em poucas palavras: que vigiemos nossas ações, gestos, palavras e pensamentos, para que possamos oferecer o melhor de nós mesmos aos outros e despertemos neles o melhor que eles têm em si mesmos, a centelha divina e universal que todos possuem. Cuidadosos para não contribuir, de forma negativa, com nenhuma ação de nosso semelhante. Cuidadosos com o outro, para que ele possa crescer, evoluir, migrar para o alto. Ensinando pelo exemplo, como os grandes mestres fizeram e nos ensinaram.

(Em 13 de agosto de 2010)

Em 03 de julho de 2010

“Que a grande bandeira içada hoje sobre o teto desse lar continue tremulando e oscilando pelo vento, pela brisa que nesse momento o embala. São os anjos que abraçam cada um dos presentes. Os anjos celestiais existem e acompanham cada um de vocês. Saibam que hoje, nessa casa, um momento especial acontece. Muitas vezes pensa-se que apenas os que vivem nesse mundo estão a aprender com o mundo espiritual. Não, não, não. O mundo espiritual, também, pode aprender com vocês. Aprende quando dão exemplos sinceros e plenos de alegria, de felicidade, de paz, de harmonia, de auxílio, de compreensão, de busca e acolhimento mútuo. É assim… Troca, intercâmbio, um abraço entre mundos que se aproximam.

Saibam que hoje, nessa celebração, e em todas onde reine o amor sincero e puro, vários irmãos estarão junto com vocês, aprendendo, através da alegria, do fazer diferente, da intenção da renovação.

Exercitem a percepção da beleza, todos os dias. Exercitem a percepção da beleza no coração de vocês. Na casa. Exercitem a percepção da beleza no corpo de vocês. No quintal, na planta, na flor. Observem a beleza. A beleza do sorriso, da criança, da harmonia, da esperança.

Estamos felizes por vocês. Felizes por não terem aceso em vossos corações a chama do orgulho. Sim! Simplicidade. Procurem distanciar-se do orgulho e da arrogância. O que a mão direita dá, que a vossa mão esquerda não saiba. Sempre!

Irmãos, celebrem. Estejam alegres, porque a vida é alegria e o Criador é, em essência, alegria, felicidade e paz.”

(Irmão Daniel)

Em 03 de julho de 2010

Que o coração de cada um transborde alegria, transborde paz, suficientes para alegrar o coração do seu irmão. O melhor presente que podemos dar ao nosso irmão é um sorriso, é um minuto de nosso tempo, é um olhar fraterno. Mais do que o alimento do corpo, necessário se faz o alimento da alma; mais do que a vestimenta física, a vestimenta moral.

Através do exemplo, através da boa-vontade, através da benevolência, conseguimos transportar esse amor e essa paz ao nosso irmão. Assim como aqui estamos recebendo, saibamos doar. Mas doar, meus irmãos, sem cobrar. Doar no sentido puro da palavra, para que quem receba, receba também com o coração aberto, sem medo de “o que eu vou ficar devendo a ele?”. Absolutamente nada!

Nós somos grandes devedores e não somos cobrados. Quem somos nós, para cobrar? Que saibamos transportar alegria. Que saibamos transportar o amor. Que saibamos transportar a paz. O nosso carro cabe. Oh, se cabe! Não se esqueçam disso. Jamais.

Que a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo continue sempre com cada um!